Tag archive

Roswell

SLIDES DE ROSWELL! – FARSA DESMONTADA POR UMA PLACA

in Análises/Caso Roswell/Casos/DEBUNKED/Freedom of Information Act (FOIA)/HOAX/News/Roswell by

Como afirmamos em Fev/2015, logo após o anuncio feito pelo grupo de ufólogos, incluindo o jornalista Jaime Maussan, do programa mexicano 3° Milênio, já conhecido como propagador de farsas no meio ufológico, começamos a desconfiar de todo mistério envolvendo a noticia e do modo que vinha sendo divulgada. Então começamos a acompanhar de perto e no fim aconteceu o que suspeitávamos, tudo não passou de mais uma farsa, mal elaborada digamos de passagem, pois o grupo ignorou ou esqueceu do fato que estamos no século XXI, e acabaram sendo traídos por uma placa.

A chave para o mistério dos tão falados “Roswell Slides” estava no texto escrito na placa que para reforçar a farsa, foi propositalmente borrado para que não fosse possível ler. Porém, os autores da farsa não contavam ou desconheciam que hoje temos a disposição uma variedade de softwares para edição de imagens, alguns até mesmo utilizados pelos serviços de inteligência de muitos países, que permitiu através da iniciativa independente de Alejandro Rojas, Philip Mantle, David Rudiak, Whitley Strieber Frank Warren e outros mais, alguns usando o SmartDeblur, outros usando softwares diferentes como Blurity, Photoshop CC e InFocus, acabou por esclarecer a grande farsa anunciada.

Como chamativo para a farsa, foi utilizada uma imagem de uma múmia do museu Smithsonian. A foto apresentada pelo grupo de ufólogos foi adulterada de modo que não fosse possível descobrir a sua origem, mas o blog Blue Blurry Lines, correram atrás da verdade e descobriram a fotografia original, onde pode-se ler a placa de identificação da múmia:

mummia

Algumas das pessoas que participam na investigação no show BeWitness, Richard Dolan, Anthony Bragalia, Dr. David Rudiak, e mais notavelmente, Don Schmitt., depois de ver a documentação, reconheceram que a leitura da placa está correta.

Placard Deciphered - Illustration by Nippa Downey
Placa decifrada – Ilustração por Nippa Downey

O texto acima bate exatamente com uma nota publicada em setembro de 1938, Volume III, Número 1 , no Parque Nacional de Mesa Verde, em Montezuma, no Colorado, onde é descrita a mesma múmia, que foi abrigada pelo museu e, atualmente, está em exposição no Museu Smithsonian.

A placa corresponde aos documentos históricos e o corpo é descrito nos registros Serviço Nacional de Parques e literatura (National Park Service records and literature), que também menciona fotos. Devido a um pedido FOIA feito pelo Pastor Johnson, o National Park Service divulgou documentos que registram a proveniência da múmia criança descoberta em 1896 no Arizona no castelo de Montezuma por Richard Wetherill e SL Palmer, ao seu empréstimo pela família Palmer para o museu Colorado Chapin Mesa, em seguida, à sua transferência para o museu do castelo de Montezuma perto do local do enterro inicial.

2-Year-Old Child Mummy Found at Montezuma Castle (Crpd) - 1896

A foto de 1896 da sepultura não mostra o corpo bem o suficiente para comparação, mas a foto de 1939 é muito boa. Há outras fotos que ainda não vieram à tona, mas até à data, temos fotos de três lugares, décadas separadas, com o corpo em diferentes telas. Além da foto de 1939 em preto e branco, há os slides de tudo de 1946 no Chapin Mesa museum (que se presume ter sido feitos pelos Rays). Em junho de 1947, os restos mortais foram transferidos para o museu do castelo de Montezuma, onde foi fotografado novamente em 1956 por um turista.

As fotos foram tiradas em anos e diferentes câmeras e iluminação, a partir de ângulos diferentes, mas eles são muito semelhantes. Parece quase uma coincidência que fotos separadas por décadas são tão parecidas, mas devido à cabeça da criança estar virada para a direita, que foi exibido da mesma forma ao longo dos anos, para ser melhor visto de lado, produzindo assim fotografias semelhantes.

Child Mummy From Montezume Castle (400 px)
Imagem da Mumia de um menino de 2 anos (Palmer Collections) utilizado para promover a farsa dos Slides de Roswell, supostamente feitos por Bernerd & Hilda Ray circa 1947
SL Palmer Mummy - Pic 2 (Mantle) (400 px)
Mesmo múmia de um menino de dois anos de idade (Coleção Palmer); imagem descoberto por Jorge Peredo via Picasa. Crédito: Frank & Frances & Frank Hadl – Dezembro de 1956

A maioria das diferenças aparentes no corpo vêm do posicionamento dos restos próximos ao esqueleto e a forma como que a roupa está disposta em torno dele. As fotografias do corpo são tão semelhantes que detalhes podem ser transpostos uns sobre os outros para demonstrar que todos eles foram feitos da mesma coisa.

 

 

Roswell, UFOs e o Projeto Pandora

in Aliens/Caso Roswell/Casos Desvendados/CIA/Documentos Revelados/Documentos Secretos/FBI/National Security Archive/News/OVNIS/UFO Crashes/UFOS/USAF by

Hoje, tranquilamente você pode ir no site do Departamento de Defesa pode encontrar um arquivo que tenha sido desclassificado através do Freedom of Information Act (FOIA) sobre o tema do Projeto Pandora (que, de forma significativa, estava focada em segredos da Guerra Fria, e assuntos tipo: “Como microondas podem afetar a mente e corpo).”

TS-MAJIC
É um arquivo fascinante que remonta décadas. É um arquivo extenso, pois possui cerca de 500 páginas e é composta de uma série de documentos notáveis. Mas, aqui está um fato estranho, se você for até a página 449, você vai ver que ela contém uma cópia do polêmico “MJ12 / Eisenhower Briefing Document” sobre o caso Roswell UFO, de 1947!

eisenhower_briefing01-570x812

majestic <-Acesse o documento aqui

Claro que a maioria da comunidade ufológica sabe que um documento como este sugere muitos debates sobre sua autenticidade ou origem, pois a cópia do EBD embutida no arquivo Pandora tem uma nota escrita à mão sobre ela, afirmando que: “Isso não pode ser autenticado como um documento oficial DoD.”

Bem, isso é bastante justo, é algo que a maioria das pessoas dentro de Ufologia concordaria com, realmente não foi autenticada. Mas, aqui está o problema, o que é uma cópia do EBD fazendo em um arquivo DoD junto com o arquivo do Projeto Pandora? Vamos olhar para o que sabemos.

Um dos maiores problemas que assombra o caso Roswell são justamente os documentos vazados, fotos, testemunhos, filmes, mais tarde atestados como falsos e por ultimo agora uma série de Slides, convenientemente encontrados durante uma limpeza, post mortem, de uma casa onde supostamente vivia um casal envolvido com operações e agências do governo. Estes Slides, que conforme a mídia, estão causando um alvoroço nos entusiastas UFOS, estão cercados de mistérios do tipo, imagens borradas propositalmente para que a confirmação não seja conhecida antes de um grande evento Ufológico que ocorrerá em Maio. Sinceramente, acho que assim como aquele caso do ET de Atacama, do projeto Sirius, que depois de um estardalhaço como o que está sendo feito agora, estava com um pé atras, porém, esta semana quando vi que Jaime Maussan do programa Terceiro Milênio também estava envolvido, fiquei com os 2 pés, para não dizer, a distância, pois como vou acreditar em um jornalista que atribui o nome OVNI a um simples balão de Gás?

Voltado ao caso Roswell, todos este material que vazou até hoje reivindica que alguma coisa caiu ou aterrisou no Rancho Foster, no condado de Lincoln, em julho de 1947.

Em 1987, no entanto, a situação mudou drasticamente. Naquele ano, o livro best-seller de Timothy Good, Above Top Secret, foi publicado. Um dos aspectos mais controversos do livro foi a discussão de um documento que supostamente originou-se com um grupo de pesquisa e desenvolvimento de material classificado estabelecido pelo Governo dos EUA em 1947 para lidar com o incidente em Roswell. Foi, assim diz a história, conhecida também como Majestic 12, MAJIC 12, e MJ12.

Classificada como “Top Secret/Majic Eyes Only”, o documento pode essencialmente ser dividido em duas partes. O primeiro é um briefing de 1952 preparado pelo almirante Roscoe H. Hillenkoetter (o primeiro diretor da CIA) indicado pelo presidente eleito Eisenhower. Ele informou ao presidente que uma nave alienígena foi recuperada em Roswell e informou-o sobre o grupo MJ12, suas atividades e de associação.

O segundo é um memorando do presidente Harry Truman 1947 para a Secretária de Defesa,  James Forrestal, que autoriza a criação de MJ12.

 

Pouco depois, Timothy Good publicou cópias dos documentos MJ12 em maio 1987, cópias adicionais vieram à tona publicamente, desta vez nos Estados Unidos, depois de ter sido liberado pela equipe de William Moore, Stanton Friedman e o produtor de televisão, Jaime Shandera. Moore trabalhou tranquilamente com um número de insiders de inteligência que lhe contataram, na sequência da publicação do livro de 1980, ele tinha co-autoria com Charles Berlitz,autor do livro “The Roswell Incident”.

De vez em quando, e sob circunstâncias distintamente “Por debaixo dos panos”, papéis de aparência oficial foram passados para Moore por sua chamada “Deep Throat”, como fontes. A implicação era que alguém do governo desejava colocar à disposição o material para a comunidade de pesquisa UFO, incluindo os dados pro-UFO em Roswell, que de outra forma teria permanecido para sempre fora do domínio público.

Não é preciso comentar que toda a controvérsia a autenticidade ou não dos documentos e as circunstâncias em que eles vieram à tona incomodou muita gente. Alguns reforçaram a ideia de que eles eram documentos oficiais, secretamente vazados por fontes internas ligadas à comunidade de inteligência. Outros, porém, gritaram “Hoax!” Enquanto alguns suspeitaram da documentação foi, possivelmente, algum tipo de desinformação, projetado para turvar as águas já escuras de Roswell ainda mais.

Não foi apenas o campo da Ufologia que estava interessado na saga MJ12. Extra-Oficialmente, alguém se sentou e tomou nota dos documentos notórios, também, como veremos a seguir.

No Outono de 1988, uma investigação dos documentos MJ12 foi conduzida pela divisão de Contra-Inteligência do FBI. Tudo aconteceu fora dos dominios de Washington e Nova York. Algumas entradas na investigação também vieram do escritório do FBI em Dallas, Texas.

Em 15 de setembro de 1988, um agente da Força Aérea instituto de Investigador Especial foi contatado pelo FBI de Dallas e forneceu ao Bureau uma outra cópia dos documentos MJ12. Em seguida, em 25 de outubro de 1988, o escritório de Dallas transmitiu uma “Secret Airtel” de duas páginas para a sede que têm a seguinte redação:

“Envelope lacrado para o Bureau que contém um possível documento classificado. Dallas observa que dentro das últimas seis semanas, tem havido publicidade local em matéria de “OPERAÇÃO MAJESTIC-12 “, com pelo menos duas aparições em um programa de rádio local, discutindo a “OPERAÇÃO MAJESTIC-12”, os indivíduos envolvidos, e a tentativa do Governo para manter tudo em segredo. “

O Redator da Mensagem contnua…

“Não se sabe se isso tudo faz parte de uma campanha publicitária. [Censurado] do OSI, informando que ‘OPERAÇÃO BLUE BOOK “, mencionado no documento na página 4 existia. Dallas percebe que o documento suposto tem mais de 35 anos de idade, mas não sei se ele foi corretamente desclassificado. A Mesa é convidada a discernir se o documento ainda está classificado. Dallas suspenderá qualquer investigação em suspenso até nova direção a partir FBIHQ “.

Em parte como resultado das ações do Escritório do FBI de Dallas, e em parte como resultado da investigação realizada pela Contra-inteligência do FBI, em 30 de novembro de 1988 uma reunião organizada teve lugar em Washington DC entre agentes do Bureau e aqueles do AFOSI. Se o AFOSI tinha informações sobre MJ12, disse que o Bureau gostaria de saber.

Uma comunicação secreta de volta para o escritório de Dallas proveniente de Washington em 02 de dezembro de 1988 contém a seguinte redação:

“Esta comunicação é secreta e classificada na sua totalidade. Referência Dallas Airtel datado de 25 de outubro de 1988. Referência Airtel solicitou que FBIHQ determinasse se o documento fechado por referenciado Airtel foi classificado ou não. O Escritório de Investigações Especiais, Força Aérea dos EUA, aconselhou, em 30 de novembro de 1988, que o documento foi fabricado. Cópias do documento foram distribuídos para várias partes dos Estados Unidos. O documento é completamente falso. Dallas deve fechar inquéritos atribuidos. “

Para reforçar a conclusão do governo de que os documentos não eram genuínos, carimbos oficiais e mensagens (alguns do último escrito em caneta preta) foram adicionadas às cópias dos documentos MJ12 na posse tanto da USAF e do FBI e que reforçaram a conclusão hoax.

As cópias dos documentos MJ12 contidas no arquivo de projeto Pandora do DoD (como você vai ver no link contido na primeira linha deste artigo) também têm uma mensagem semelhante escrito sobre eles, onde se lê: “Isso não pode ser autenticado como um funcionário documento DoD. “

A lógica sugere que a mensagem foi escrita (provavelmente) em torno do final de 1988, que é quando a Força Aérea e do FBI estavam ocupados adicionando mensagens quase idênticas às suas cópias.

E, uma vez que vários pesquisadores UFO tinham protocolado solicitações ao Freedom of Information Act (FOIA) com todos os tipos de agências oficiais para os dados dos documentos MJ12, faz sentido que o DoD tivesse cópias em arquivo, também, assim como AFOSI e o FBI.

Com isso tudo observado, vamos dar uma olhada mais de perto no Projeto Pandora.

Exopaedia possui notas do programa que, no início dos anos 1960, “… a CIA descobriu que a embaixada dos Estados Unidos em Moscou foi” bombardeada “com EMR (radiação eletromagnética). O sinal era composto de várias frequências. O Projeto de Pandora foi destinado a investigar e reunir dados sobre esse experimento russo. O pessoal da embaixada não foi informado da existência do feixe, ou do projeto de Pandora “.

Exopaedia continua dizendo que, “o sinal se destinava a produzir a visão borrada e perda de concentração mental. Investigação sobre os efeitos sobre o pessoal da embaixada, no entanto, mostrou que eles desenvolveram anomalias na composição do sangue e contagem de cromossomos anormais. Algumas pessoas ainda teriam desenvolvido uma doença de sangue com sintomas parecidos com os da leucemia. “

Então, o que temos aqui é um arquivo em um programa que remonta ao início dos anos 1960 e que foi focado principais preocupações de que os soviéticos na estavam tão bem como diziam. Mas, mesmo assim, ainda não fornece a resposta para uma questão importante: por que é muito controverso, questionável, o documento sobre alienígenas mortos, vitimas de um incidente com um UFOs, e um projeto supostamente altamente classificada para investigar ambos, contido em um arquivo no DoD daquele velho documento que tratava das operações na Guerra Fria instigado pelos russos?

Não tenho respostas reais ao que poderíamos chamar de “O Mistério das Microondas e MJ12.” Talvez alguém lá fora, saiba.

 

Ex-assessor de Obama, Podesta lamenta não divulgar arquivos sobre óvnis

in Aliens/National Security Archive/News/OVNIS/UFOS by
U.S. President Barack Obama walks on the Ellipse with White House counselor John Podesta near the White House in Washington
Agora, sobre aqueles homenzinhos verdes … “Podesta passeia com o presidente Barack Obama.

Tecnicamente incorreto: John Podesta, um alto conselheiro da Casa Branca que está saindo para, supostamente, chefiar um novo projeto de Hillary Clinton para a presidência, diz que seu maior arrependimento na partida é não conseguir obter a libertação dos “arquivos ufológicos.”

Tecnicamente incorreto oferece uma visão ligeiramente torcido na tecnologia que tomou sobre nossas vidas.

A noção de qualquer governo a dizer a verdade, toda a verdade e nada mais que a verdade é singular em seu otimismo.

No entanto, aqueles que acreditam que existem seres alienígenas que visitaram e visitam a nossa Terra e até mesmo deram uma paradinha nosso Burger King acreditam que a verdade está (em algum lugar) lá fora.

Claramente, ele pode causar pânico nas ruas e palpitações no coração, se o presidente dos Estados Unidos, de repente acordou e decidiu anunciar que a metade do Senado era do Planeta Plim. Para mim, isso não causaria surpresa a todos, exceto a se perguntar se todos naquele planeta viviam sozinhos, casaram-se e se auto-canibalizaram mais tarde na vida ..

Ainda assim, a saída conselheiro sênior da Casa Branca John Podesta é triste já que o governo não nos disse o que realmente sabe sobre UFOs. Ele levou para os meios de comunicação mais extraterrestre que pudesse encontrar – Twitter – a fim de revelar: “Finalmente, o meu maior fracasso de 2014: Mais uma vez não garantir a #disclosure dos arquivos ufológicos.”

Ele acrescentou que a hashtag #thetruthisstilloutthere foi muito útil.

É reconfortante, em certo sentido, que há alguma verdade que ainda não foi revelada. Caso contrário, todos os artistas de quadrinhos, cineastas e teóricos da conspiração teriam sido desnecessariamente nos deixado em polvorosa por décadas.

Podesta, que declaradamente agora vai trabalhar na possivelmente, para a campanha de Hillary Clinton a presidente, tem sido um defensor da divulgação completa do que o governo sabe, ou não, sobre alienígenas. Em 2002, ele falou publicamente sobre como abrir os cofres e revelou os pequenos ossos das pessoas verdes (metaforicamente falando).

Ele ainda foi mais adiante em “UFOs: Generals, Pilots, and Government Officials Go on the Record,” livro publicado em 2010.

Nele, ele escreveu: “. Como alguém interessado na questão dos UFOs, eu acho que sempre entenderam a diferença entre fato e ficção que eu acho que você poderia chamar-me um cético curioso, mas eu sou cético sobre muitas coisas, incluindo a noção de que o governo sempre sabe o melhor. “

Ele também defendeu os esforços dos outros para persuadir o governo a liberar arquivos sobre óvnis (certamente alguém já apelidou-os de X-Files), através da Lei de Liberdade de Informação (FOIA). “O povo americano”, escreveu ele, “pode lidar com a verdade.”

Você pode conjecturar, portanto, que ele conhece pelo menos um pouco do que poderia estar escondido.

Dependendo de como se leva suas observações, ele não seria o único membro sênior do governo a provocar uma visita ao passado a partir de uma espécie de outro mundo. Só no ano passado, o presidente Bill Clinton apareceu no Jimmy Kimmel Show para oferecer estas palavras tentadoras:

“Se nós fomos visitados algum dia, eu não ficaria surpreso”

É possível que tanto o presidente como Podesta sabem mais do que eles (são autorizados a) falar? Se a sua resposta for sim, que nos deixa a especular é sobre o porquê eles não podem revelá-la.

Será que é porque nós estaríamos ou ficaríamos assustados? Ou é porque os nossos sistemas de crenças se tornaria tão deslocado que o que resta da nossa coesão social iria se dissolver?

E se Will Smith e Tom Cruise realmente fossem do Planeta Scientolog? E se o Texas estava agora nas mãos de seres extraplanetários cujo objetivo não era secessão mas a migração de volta ao Planeta Archaica? E se o Google não era nada mais do que um laboratório experimental  plantada em segredo aqui por seres do Planeta Insania?

Certamente, o governo pode, pelo menos, dar-nos um sabor do que está aqui e de lá para fora. Quero dizer, estamos fazendo tudo sobre transparência nos dias de hoje, não estamos?

O apetite do público por informações sobre UFOs permanece forte. No início deste ano, por exemplo, uma enorme quantidade de arquivos ufológicos chegou à web quando o entusiasta UFO John Greenewald postou registros desclassificados do Projeto Blue Book – registros da Força Aérea os EUA sobre alegada documentação sobre UFOs e avistamentos de extraterrestres – em um banco de dados online. Greenwald passou décadas arquivando solicitações baseando-se no (FOIA)  Freedom of Information Act solicitações sobre o tema.

No entanto, as referências para o caso Roswell, ocorrido no Novo Méxivo, são muito escassas no banco de dados. O alegado incidente Roswell 1947 continua a ser uma fonte de controvérsia, com os teóricos da conspiração que afirmam os militares dos EUA encontraram e acobertaram as evidências de um acidente de nave alienígena.

Documentos revelam duas décadas de buscas por óvnis nos EUA

in Aliens/Avistamentos/Caso Roswell/Casos Desvendados/CIA/Documentários/Documentos Revelados/Documentos Secretos/Misterios/NASA/National Security Archive/News/OVNIS/Projetos Secretos/Roswell/UFO Crashes/UFOS/USAF by

O historiador amador John Greenewald passou quase duas décadas solicitando informações consideradas não confidenciais do governo dos Estados Unidos sobre objetos voadores não identificados (óvnis).

O resultado foi a postagem na internet de mais de 100 mil páginas de documentos sobre os inquéritos internos de óvnis da Força Aérea americana.

Veja abaixo cinco entre os principais pontos dos arquivos abertos pelo chamado Projeto Livro Azul. As revelações estavam disponíveis no site, porém uma organização, alegando direitos autorais, isto mesmo, direitos autorais sobre documentos públicos, entrou na justiça e conseguiu retirar todos os documentos do site. Mesmo assim você pode acessá-los aqui em nosso site, através do link oficial disponibilizado.

1. O Projeto Livro Azul foi um projeto ambicioso

As origens do ambicioso projeto datam de junho de 1947, disse à BBC o pesquisador sobre óvnis Alejandro Rojas.

O editor da revista Open Minds disse que um respeitado empresário e piloto, Kenneth Arnold, estava sobrevoando sobre o Estado de Washington quando testemunhou vários objetos voadores não identificados.

Mais tarde, Arnold descreveu que os objetos “saltavam como pires”. A imprensa adotou o termo, e passou a chamá-los de discos voadores.

Força Aérea dos EUA disse que estes destroços, recuperados em Roswell, no Novo México, pertenciam a um alvo radar
Força Aérea dos EUA disse que estes destroços, recuperados em Roswell, no Novo México, pertenciam a um alvo radar

Este incidente – e vários outros, incluindo o possível pouso de um óvni em Roswell, no Novo México, no mesmo ano – levou a Força Aérea a lançar um órgão de investigação específico sobre o tema.

Nomeado Projeto Livro Azul e sediado na Base Aérea de Wright-Patterson, em Ohio, a ideia era que o programa fosse formado por apenas alguns funcionários. No entanto, o grupo investigou 12.618 registros de óvnis num período de duas décadas.

2. Projeto respondeu a um mal-estar público

Criado nos anos imediatamente seguintes à Segunda Guerra Mundial, o Projeto Livro Azul tinha a intenção de interromper a disseminação do mal-estar público diante do número crescente de relatos de visualizações de óvnis, incluindo sobre locais importantes como a Casa Branca e o Capitólio.

“Havia muita histeria do público, e para os militares e o governo na época, era uma grande ameaça”, diz Greenewald. “Não importa se os óvnis eram alienígenas ou não, eles estavam causando pânico, então [o governo] tinha de controlar os nervos de todo mundo.”

Embora sejam vistas com sarcasmo hoje, as ocorrências de avistamento de óvnis teriam sido discutidas por altos integrantes do governo americano nos anos 1940 e 1950.

“A questão foi levada muito a sério naquela época”, disse Rojas. Chefes da CIA, a agência de inteligência americana, à época afirmavam publicamente que se tratava de um fenômeno real.

Em 1966, outra comissão da Força Aérea foi criada para analisar a fundo alguns dos casos do Projeto Livro Azul. Mais tarde, esse grupo divulgou um relatório que afirmou não ter encontrado evidências de óvnis.

O Livro Azul foi oficialmente encerrado em 1969.

3. Muitos dos casos não deram em nada

Apesar de muitas fontes confiáves – de almirantes da Marinha a pilotos militares e civis – terem relatado avistamento de óvnis, a maioria dos casos investigados pelo Projeto Livro Azul acabou envolvendo balões meteorológicos, gases de pântano, eventos meteorológicos e até mesmo inversões de temperatura.

Em Seattle, no Estado de Washington, em abril de 1956, uma testemunha descreveu ter visto um “objeto redondo, branco… [que] dava voltas e voltas”, de acordo com os documentos. Posteriormente, os investigadores concluíram que se tratava de um meteoro e encerraram o caso.

Investigadores amadores dizem que a verdade sobre óvnis ainda precisa ser descoberta
Investigadores amadores dizem que a verdade sobre óvnis ainda precisa ser descoberta

Em janeiro de 1961, em Newark, New Jersey, uma testemunha relatou ter visto um objeto cinza escuro “do tamanho de um jato sem asas”. Esse objeto, mais tarde, foi identificado como um avião.

4. Outros casos não são tão facilmente explicados

De acordo com Greenewald e Rojas, mais de 700 casos do Livro Azul não puderam ser explicados pelos investigadores. Muitos desses casos citaram dados ou provas insuficientes.

Mas mesmo alguns dos casos encerrados levantam mais perguntas do que respostas para os ufólogos. Em um deles, em 1964, um policial em Socorro, no Novo México, interrompeu uma perseguição a um suspeito após avistar uma aeronave estranha.

Ele seguiu o objeto – descrito como tendo uma insígnia vermelha estranha – e o viu aterrissar. Dois seres do tamanho de crianças saíram. O objeto, então, decolou, deixando queimaduras e vestígios no terreno.

“O Livro Azul rotulou [o caso] como inexplicável e, mesmo depois de todas estas décadas, ainda não conseguem explicá-lo”, diz Greenewald.

5. Há ainda informações a serem descobertas sobre óvnis

Embora Greenewald tenha acumulado um arsenal de documentos do governo, ele diz haver muitos outros a que nem ele nem o público tiveram acesso.

Um pedido feito à Agência de Segurança Nacional rendeu centenas de páginas – mas as revelações estavam tão editadas que apenas algumas palavras apareciam em cada página, diz.

Outras entidades do governo americano – incluindo a CIA e a agência de inteligência de defesa – também realizaram investigações sobre óvnis que não foram divulgadas, diz Greenewald.

“Eu acho que o Projeto Livro Azul é apenas a ponta do iceberg”,

diz ele, acrescentando que vai continuar a pedir mais informações ao governo dos EUA.

Fonte BBC

(UPDATED) Slides de Alien do Caso Roswell – Conseguimos obter uma imagem mais nítida dos tão falados “Slides de RosWell”

in Aliens/Caso Roswell/Documentos Revelados/News/Roswell by

No ultimo dia 02 de Fevereiro de 2015, publicamos em primeira mão a noticia sobre a revelação de slides contendo imagens de corpos dos Aliens regastados do incidente de Roswell, feita em 1947 e que será revelado na integra no próximo dia 05 de Maio de 2015, na cidade do México durante um evento apresentado pelo jornalista Jaime Maussan. Evidente que tratando-se do jornalista em questão, muitos ficaram com 1 pé atras e outros tantos com os 2 pés, visto que nem tudo que ele mostra em seu programa é digno de nota. Fato comprovado por investigadores da MUFON que em algumas verificações in loco de alguns casos “Famosos” e “Insolúveis”, foram desmascarados.

Voltando ao assunto, como não poderia ser diferente, todas as prévias dos supostos Slides parecem que foram “Borrados” de propósito, não sendo possível identificar o que realmente consta na foto.

Claro, pode ser uma jogada de Marketing, porém o que é estranho, é a participação de Eng° da própria Kodak, responsáveis pela recuperação e autenticação dos Slides encontrados, que inclusive montou um vídeo mostrando todo o processo de recuperação dos Slides, mas….sempre que eram mostrados aqueles que continham as imagens dos corpos, advinhem?  Borrados.

Na semana passada, nós escrevemos em nosso ar tigo Roswell detalhes da foto alienígena revelou sobre o anúncio de que os slides fotográficos de um suposto alienígena tomada em 1947 será revelado em 5 de maio de 2015 na Cidade do México em um evento apresentado pela jornalista mexicano Jaime Maussan.
Sempre que um slide original foi mostrado no documentário, ou em outras apresentações dos pesquisadores, foi borrada.

Roswell-Alien-Slide-ftr

 

images

 

O Interessante de tudo isto, é que chegou a nosso conhecimentos, é que todas as pessoas envolvidas na divulgação dos Slides Bombásticos, sim Bombásticos, pois iria colocar por terra toda a Conspiração montada e orquestrada pelos USA para esconder o fato, estariam tendo suas correspondências e e-mails monitorados a até mesmo violados por supostos “Hackers” trabalhando para a CIA. Interessante não é mesmo? Até parece aqueles filmes de espionagem “B”. O UFOSFActs foi em busca de maiores informações e misteriosamente o site responsável pela divulgação e negociação dos Slides, não existe mais.

AlienBody

 

Frank Warren, fundador do site UFO Chronicles, resolveu ampliar o slide e tentar melhorar para ver o que ele realmente mostrava. O que ele conseguiu foi uma imagem mais clara do que o slide parece. No trabalho de Warren, você pode ver algum tipo de corpo deitado no que parece ser uma maca, e uma régua nas proximidades.

 

Podemos ver que trata-se um corpo humanoide, porém não é possível determinar se trata-se de um Humano (Criança) ou um adulto com alguma doença degenerativa, um Símio ou realmente trata-se de um corpo Alienígena.

As únicas evidências que foram autenticadas até agora resumem-se apenas aos Slides, porém com relação ao que contem neles, isto teremos que aguardar mais algum tempo e quem sabe consigamos ver os tão famosos Slides Nítidos, sem estarem borrados propositalmente.

Continuamos…..

Documentos revelam : “Projeto 1794, o disco voador que a USAF tentou construir nos anos 50 com ajuda de EBE1, suposto Alien sobrevivente de Roswell”

in CIA/Documentos Revelados/News/Roswell/USAF by

No final de 2012, a Força Aérea dos EUA desclassificou um tesouro de documentos, incluindo registros de um programa secreto para construir uma aeronave do tipo disco voador projetado para abater bombardeiros soviéticos. O ambicioso programa, chamado Projeto 1794 , foi iniciado na década de 1950, e uma equipe de engenheiros foi encarregada de construir um veículo em forma de disco capazes de viajar a velocidades supersônicas em altas altitudes.

Segundo relatos, este projeto só foi possível devido a colaboração de EBE 1. Você não sabe quem é EBE 1? Então explicaremos quem foi ele e como ele se encaixa nesta história, tudo conforme relatos e documentos liberados pela CIA, FBI e USAF.

Tudo começou quando Ronald Reagan,  durante uma reunião classificada como “Ultra Secreta”, realizada entre 6 e 08 de março de 1981, foi informado sobre as duas naves que cairam em Roswell e Datil, New Mexico caiu. Ele foi informado pelo nada mais, nada menos do que o ex-diretor da CIA, W.Casey, então Ministro da Defesa C. Weinberger e vários consultores.

Porém o mais supreendente foi a comunicação e a confirmação de muitas desconfianças de que realmente houve um sobrevivente, que foi chamado EBE, um alienígena do planeta Serpo, que fica a 38,42 anos-luz da Terra no sistema Zeta Reticuli.

O relatório final do Projeto Serpo foi lançado em 2 de novembro de 2005. Depois de muita discussão, o projeto foi parcialmente tornado público, porque o limite de tempo em projetos secretos do governo (25 anos) tinha expirado.

Segundo o relatório, os Estados Unidos da América foram visitados por alienígenas desde 1947, mas há muitas evidências de que a Terra há milhares de anos também vem sendo visitada por diferentes civilizações de origem extraterrestre.

Em julho de 1947, há algo de notável ocorreu no Novo México. Durante uma tempestade, duas naves alienígenas cairam, uma delas em Datil, New Mexico. Os militares dos EUA bloquearam toda área e deslocaram todo o material incluindo um alienígena ao vivo, isto mesmo, segundo o relatório, estava vivo e tratava-se de um tipo de engenheiro da nave, que conhecia a fundo toda a tecnologia alien.

Então, foi chamado EBE-1, onde EBE seria uma abreviatura para extraterrestre Biological entity. Resumindo, uma criatura que não era de origem humana.

Todo o material e EBE,  do primeiro acidente foram levados para a base aérea de Roswell.EBE foi tratado por ferimentos leves e, em seguida, transferido para Los Alamos, a base mais segura e secreta do mundo. Um alojamento especial foi feito para EBE. O material enfim foi levado para Dayton, Ohio, sede da divisão de tecnologia alienígena da Força Aérea dos EUA, isso mesmo, Divisão de Tecnologia Alienígena.

O segundo acidente foi descoberto mais, em 1949, por alguns agricultores. Neste caso não houve aliens sobreviventes encontrados no lugar. Também, todo o material foi levado para a Base Aérea de Sandia, em Albuquerque, Novo México.

Na primeira nave foram encontrados 5 corpos alienígenas  mortos e um deles ainda vivo. Os corpos dos mortos foram enviados para Wright Field, Ohio, transportados e armazenados em um tipo congelador. Mais tarde, eles foram transportados para Los Alamos, onde containers especiais foram feitos para evitar a decomposição dos corpos.

No local onde a segunda nave caiu, quatro corpos foram recuperados. Esses corpos já estavam em avançado estado de decomposição. Os restos mortais foram levados para a base da Força Aérea Sandia e Los Alamos. Ambos naves acidentadas  eram quase idênticos em design e com o mesmo tipo de ocupantes de acordo com os corpos encontrados. Eles não possuiam características humanas, com exceção de olhos, ouvidos e boca. Seus corpos são diferentes dos nossos, sua pele e respiração. O sangue não era vermelho, e o seu cérebro era totalmente diferente de qualquer ser humano. Os olhos deles tinha deram diferentes, provavelmente porque seu planeta natal é muito claro.

EBE-1 permaneceu vivo até 1952, quando morreu. Embora EBE não tivesse órgãos vocais como os seres humanos, ele foi capaz de se comunicar através de uma cirurgia realizada por médicos militares. EBE era extremamente inteligente e rapidamente aprendeu o idioma Inglês principalmente ouvindo os militares que eram responsáveis pela segurança e cuidados com o EBE. Outras fontes incluindo membros da inteligência, afirmaram de que EBE1 foi resgatado por uma nave de seu próprio planeta, onde na ocasião foram firmados tratados entre os seres alienígenas e o governo dos USA. Vale a pena lembrar, de que logo após a suposta morte de EBE1, o governo dos USA mandou suspender todas investigações sobre UFOS, pois eles já haviam recebido a prova irrefutável de que os seres de outros mundos não eram Hostis e não apresentavam nenhuma ameaça ao Governo dos USA.

ebe12

EBE foi alojado em uma área especial em Los Alamos e Sandia (Albuquerque).

ebe
Foto de EBE 1, quando encontrado

 

Apesar de uma grande variedade de médicos militares, acadêmicos e um seleto número de pessoas estudando EBE, ele nunca ficou triste ou com raiva. EBE ajudou a equipe na localização de todos os itens das naves acidentadas, assim como também na explicação da tecnologia das naves.

Rosswell-WPA Hangar 18 (1) (Copy)
Restos de uma das Naves Alienígenas

 

EBE mostrou onde vivia no universo. Nós o chamamos de sistema estelar Zeta Reticuli, que é cerca de 40 anos-luz (38,42) de distância da Terra. Demorou nove meses para a nave alienígena vencer a distância de 40 anos-luz de colmatar. Suas naves espaciais podem viajar através de uma espécie de túnel do espaço, de A para B, sem ter que viajar na velocidade da luz.

 

 

O que enfim, EBE 1 teria colaborado com os USA para o projeto 1794?

Conforme documentos, EBE teria passado o conhecimento necessário para uma engenharia reversa das naves recuperadas, porém, devido ao sua avançada tecnologia, apesar da ajuda, cientistas da época não conseguiram decifrar e entender a tecnologia utililizada, mesmo assim, deram inicio ao projeto 1794, onde o objetivo seria construir uma nave.

Os documentos desclassificados revelam planos para o avião para chegar a uma velocidade máxima de Mach 4 (quatro vezes a velocidade do som), e chegar a uma altitude de 100.000 pés (30.480 metros). Custo estimado do projeto foi mais de US $ 3 milhões, que em valores de hoje seria mais de US $ 26 milhões.
Projeto de 1794 foi cancelado em dezembro de 1961 após testes sugeriu que o projeto de disco voador foi aerodinamicamente instável e provavelmente seria incontrolável em altas velocidades (muito menos velocidades supersônicas ).

 

De acordo com os documentos, a Força Aérea chegou a contratar uma empresa canadense, Avro Aircraft Limited, em downloadOntário, para construir uma nave em forma de disco, o “Projeto 1794”.

O mesmo relatório também mostra que a aeronave foi projetada para ter uma decolagem vertical e pouso de avião, além de atingir uma velocidade supersônica de Mach 4, uma altura de mais de 100.000 pés e um percurso de 1.000 milhas náuticas.

Curiosamente, estas imagens têm uma forte semelhança com os “discos voadores” de filmes populares de ciência ficção. Esses relatórios são originais de 1956 e 1957.

Documentos originais da época:

Project-1794-A

Project-1794-B

 

Project-1794-C

 

Project-1794-D

O veículo, movido por turbinas a jato, seria capaz de pouso e decolagem verticais, pairar a baixa altitude e atingir velocidades supersônicas da ordem de Mach 4 (aproximadamente 4.600 km/h). O disco também deveria subir até uma altitude de 30 km, e esse nível de performance deixaria para trás até mesmo o conhecido Lockheed SR-71 Blackbird, a aeronave conhecida que voa mais rápido e alto.

Uma empresa canadense foi contratada para produzir um protótipo em pequena escala, chamado Avrocar. Contudo, depressa ficou evidente que o veículo era instável demais, não conseguindo voar acima de poucos centímetros de altura. Para piorar, nunca conseguiu voar mais depressa que 56 km/h.

Testes em túneis de vento comprovaram que o veículo jamais poderia atingir as especificações e o desempenho propostos no documento. Ao menos, a propulsão a jato era totalmente inadequada para aeronaves em forma de disco, e logo os projetistas conseguiram atingir essas metas com aeronaves mais próximas ao convencional.

(UPDATED) Slides de Alien do Caso Roswell serão apresentados Via LiveStream durante Evento em Maio de 2015

in Documentos Revelados/News/Roswell by

O que alguns dizem que representa a evidência visual que faltava de uma criatura humanoide que foi encontrado caído perto de Roswell, NM, em 1947, em breve será lançado em um evento internacional através de um livestream. Referido por alguns como “os Slides de Roswell”. As imagens Kodachrome já foram autenticadas por cientistas especializados e sua procedência foi confirmada. Durante esse longo processo, muitos têm especulado sobre exatamente o que essas fotos mostram. O Mundo agora será capaz de ver por si próprios a revelação mundial dos slides em 05 de maio de 2015.

National Auditorium, Mexico City
National Auditorium, Mexico City

 

O evento contará com palestrantes como Dr. Edgar Mitchell, o sexto homem na Lua, bem como autores conhecidos e investigadores de Roswell Tom Carey e Don Schmitt. O Evento será transmitido ao vivo do Auditório Nacional com sede na Cidade do México.O contexto histórico e a finalidade dos slides (bem como outras facetas do caso) serão minunciosamente detalhados. Tom Carey, que foi notícia internacional quando anunciou a descoberta dos slides na American University, em Washington, DC no mês passado, estará fornecendo mais informações e detalhes de logística sobre o evento em breve.

Um Breve Resumo sobre a origem dos Slides

Há alguns anos, enquanto um sótão estava sendo limpo, um baú foi encontrado contendo muitos slides Kodachrome. Duas lâminas Kodachrome foram encontradas e outras separadas e escondidas em um envelope dentro do revestimento interno da tampa. Os seus conteúdos foram rastreados e verificou-se ter pertencido a um intrigante casal, sem filhos, que já falecidos.

O marido, Bernerd A. Ray, foi um Geologista de Exploração de Petróleo trabalhando nos campos no Novo México e na Bacia do Permiano (que inclui a região de Roswell) na década de 1940, para uma empresa que viria a se tornar parte da Texaco. Em 1947, ele era o presidente do Instituto Americano de Geólogos de Petróleo no Texas, que também naquele tempo atuava no ‘Estado do Novo México. Depois de 1947, Bernerd tornou-se um “fantasma” em sua profissão e não publicou nunca mais aparece como ativo do Instituto.

Hilda Blair Ray
Hilda Blair Ray

A esposa de Bernerd foi Hilda Blair Ray. Os pesquisadores Tom Carey e Don Schmitt e o proprietário atual do filme descobriram que Hilda era uma advogada altamente respeitada e com uma clientela de alto nível e com possíveis conexões na inteligência. Como piloto privado, ela manteve relações favoráveis com indivíduos bem colocados em ambos os setores público e privado, durante a década de 1940. Os outros slides encontrados (mais de 100) contém várias pessoas influentes, incluindo Dwight Eisenhower. Era um casal da mais alta integridade. E ambos tiveram contatos e atividades que poderiam ter fortuitamente lhes permitido obter esses slides. A possibilidade deste casal ter forjado estas imagens como parte de uma brincadeira, só para serem encontradas mais tarde, está fora de cogitação, pois eram conhecidos por ser profissionais e grandes atuantes em causas filantrópicas, sem propensão a qualquer tipo de brincadeiras.

 

Porque os Slides são Genuinos

Profissionais de uma gama de disciplinas que têm visto os slides, concordam que eles retratam uma pequena criatura humanoide, que não é um adereço nem um ser humano geneticamente defeituoso. E mais importante, o ser que é mostrado nos slides não se correlaciona com as representações de Aliens existentes na cultura popular dos anos 1940 (como aqueles que apareceu em revistas como Amazing Stories ou filmes como Buck Rogers) O que os slides retratam não foram parte da psique pública da época. Isto não é como as pessoas imaginam como são as coisas do espaço exterior naquela época. Em vez disso, estas 1.947 lâminas revelam um ser que se parece com os seres encontrados no deserto em 1947, como descrito por testemunhas de Roswell.

Fui convidado por Tom Carey para encontrar os melhores talentos disponíveis para testar e analisar esses slides Kodak. Uma extensa pesquisa foi realizada e eu achei o talento. Um cientista fotográfico empregado pela da Kodak há décadas, que será nomeado no evento, este especialista tem conduzido grupos de engenharia, produção e gestão de produtos na sede da empresa em Rochester, NY. Agora, um consultor, ele também publicou o livro definitivo sobre processos de filmes da Kodak. Altamente reconhecido em seu campo, ele conduziu testes extensivos nos slides e conclusivamente autenticou os slides da criatura como tendo sido expostos (feitos) no ano de 1947. Concluiu-se também que os slides não haviam sido adulterado nem manipulados de forma alguma. O que foi registrado é o que realmente está lá, reflete com exatidão na emulsão como um momento real em 1947. A ciência já pesou e determinou que estas são lâminas reais e que são realmente de 1947.

E a lei concordaria com a Ciência no presente caso. Aos olhos dos tribunais, as lâminas servem dois tipos de provas legalmente admissíveis. Evidências circunstanciais representam inferências informadas e razoáveis que podem ser feitas sobre um caso, dadas as circunstâncias específicas e história em torno dela. As circunstâncias e história em torno dos Rays é muito clara de quem eles eram e o que eles fizeram, para onde eles foram e que eles sabiam. Prova documental é um termo legal que se relaciona com evidências de que reflete com precisão um momento no tempo. Isso inclui vídeo, gravações de som, raios-x, fotografias e slides.

UPDATE

Depois de postar esta história, este vídeo chegou ao nosso conhecimento. É feito por um dos especialistas que olham para os slides. Ele é cheio de informações convincentes sobre os slides.

A Única Conclusão

Este humanoide não é uma pessoa deformada, múmia ,manequim, símio ou uma pessoa morta. Ele não é uma criatura que tem a sua origem na Terra. E dado que os slides desta criatura foram tomadas no mesmo ano do acidente UFO de Roswell ; que a aparência da criatura corresponde a aparição de aliens do acidente de Roswell; e dado que a pessoa que estava na posse original das lâminas foi um geólogo que trabalha no deserto do Novo México ao longo dos anos de 1940, não é nada precipitado para então concluir que estas lâminas de fato mostram o cadáver de uma das criaturas encontradas caído no Roswell.

 

Artigo Traduzido de Anthony Bragalia
The UFO Chronicles

ALERTA : “Cientistas da Universidade da Califórnia afirmam que Aliens ‘Camuflados’ vivem entre nós

in Aliens/Conspiracy theories by
Cientistas da Universidade da Califórnia, surgiram com uma hipótese incomum que sugere que os alienígenas do espaço há muito tempo se estabeleceram na Terra e vivem entre nós como observadores.
700_a10ed917fa0ad5e9a452c08e99624b13-610x330
Segundo Cientistas, extraterrestres “Camuflados” já vivem entre nós
há milhares de anos, apenas com a missão de observar nossa evolução.
É claro que não há nenhuma prova disso, mas de acordo com fontes antigas, incluindo a Bíblia, nosso planeta foi visitado por representantes de civilizações extraterrestres desde a sua criação.
Em 2000, cientistas da Universidade da Califórnia, liderada pelo professor Jonathan Malkisom, realizaram uma conferência de imprensa, durante a qual deram a sensacional notícia de que representantes de civilizações extraterrestres vivem entre os seres humanos foi relatado. Eles adotaram aparência humana e acompanham de perto o nosso movimentos e evolução.
“É como se fosse uma versão extrema da camuflagem encontrada em alguns insetos e animais. Além disso, de acordo com registros históricos, houve alienígenas na Terra, desde o início da criação “, diz Adrian Kent do Instituto Perimeter de Física Teórica, no Canadá.
A confirmação das palavras do cientista canadense pode ser encontrada no livro de Gênesis, no ponto em que o confronto de Jacob com o Todo-Poderoso é descrito:
“E Jacó ficou só; e um homem lutou com ele até o romper da aurora “.
Os antigos filósofos estavam sempre procurando a resposta para a questão de saber se os seres que chegam do céu são membros da mesma tribo como os anjos. Mas, como regra, a resposta foi não, uma vez que os seres que chegam eram mortais, enquanto os anjos são imortais”
A questão de civilizações extraterrestres foi aberta e seriamente discutida pela primeira vez apenas no século XX, principalmente após documentos secretos da CIA serem “desclassificados” e entre eles uma pequena parte do arquivo sobre o chamado caso Roswell, quando os militares norte-americanos descobriram um disco voador acidentado e entregue suas peças para a base.
Há informações de que, para além dos detritos espaciais do objeto desconhecido, também foram encontrados os corpos de três Aliens e levados para a base. Segundo os documentos, a conclusão do motivo da queda do UFO foi o impacto do forte sinal de radares espalhados em terra nos equipamentos de navegação da nave alienígena. Para o UFOSFACTS esta conclusão foi criada apenas para satisfazer a imprensa, pois não é aceitável cientificamente que uma nave tão avançada em relação a qualquer equipamento terrestre, capaz até de quebrar leis da física, seja atingida e danificada por um mero sinal de radar. Outra versão, mais ridícula ainda, lançada pelos militares diz que o UFO caiu por ter sido atingido por um raio.
Video da suposta Autopsia realizada
nos corpos encontrados junto aos
destroços da nave de Roswell
Há relatos de que o presidente dos EUA John F. Kennedy, poucos dias antes de sua morte, pediu ao chefe da CIA para fornecer todos os materiais sobre o incidente, mas ele não conseguiu acessar os arquivos mais secretos. Em Março de 2013, o UFOSFACTS publicou uma matéria completa sobre este assunto, mostrando inclusive documentos secretos que levantam a suspeita de que o Presidente teria sido morto por este motivo. Leia Aqui.
Desde a década de 1980, muitas pessoas começaram a falar que eles não só tinham visto o aparecimento de um OVNI no céu, mas que também tinham sido levados para dentro desses objetos, e até mesmo haviam entrado em contato com os alienígenas.
Uma das mais famosas versões é do contatado búlgaro conhecido como Profeta Vanga:
“Às vezes, um dos alienígenas pega a minha mão. Eles se comunicam apenas com alguns habitantes do nosso planeta. Eles estão constantemente nos observando “, disse Vanga sobre seus contatos com representantes de civilizações extraterrestres.
O que aliens querem na Terra? Não é apenas uma hipótese, que foi sugerida pelo cientista britânico Timothy Good, em seu livro Beyond Top Secret: The Threat Worldwide UFO Segurança: “A Terra não é mais uma” base intermediária “. Eles se instalaram aqui por um bom tempo até agora “.
Em janeiro de 2011, cientistas britânicos anunciaram a necessidade de se preparar para uma reunião de emergência com uma civilização extraterrestre, e até sugeriram a fundação de uma comissão especial na ONU.
Go to Top

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com