Category archive

Apollo 11

Astrônomo desmente mitos de que homem não teria ido à Lua

in Apollo 11/NASA/News/Projeto Apollo by

Bandeira americana está amassada e não tremula.
Veja o que é verdade e o que é mentira sobre a missão da Apollo 11.

Em 20 de julho de 1969 o homem pisou na Lua, mas muitos ainda não acreditam nisso. E apesar de astronautas terem voltado lá outras cinco vezes, o fato de que ninguém nunca mais tocou o solo lunar desde 1972 abriu margem para dúvidas de muita gente. Afinal: o homem foi mesmo à Lua ou tudo não passou de uma bem montada encenação americana? Para o astrônomo Ronaldo Mourão, um dos mais respeitados cientistas brasileiros, está claro: há 40 anos Neil Armstrong e Edwin ‘Buzz’ Aldrin chegaram sim à Lua.

Os soviéticos

cosmos_3

 

Para o cientista, a principal prova de que os americanos chegaram à Lua é simplesmente o fato de que seus inimigos, os soviéticos, nunca duvidaram disso. A URSS em 1969 tinha uma tecnologia avançada, um programa espacial de ponta e plenas condições de verificar se os sinais de rádio da Apollo 11 vinham mesmo da Lua.

 

 

“Se os soviéticos descobrissem qualquer indício de que era uma mentira, eles iam fazer um samba enorme em cima. Não iam esconder de jeito nenhum”,

afirma Mourão.

Além do rádio, os soviéticos tiveram outras comprovações da missão. “Nos mesmos dias da Apollo 11, a União Soviética lançou a Luna 15”, conta o astrônomo. A Luna 15 foi uma sonda robótica importante. Tentando desmerecer o feito americano, os soviéticos queriam que ela fosse à Lua, recolhesse amostras e voltasse, mostrando que aquela história de levar gente para fora de órbita era perda de tempo e dinheiro (não deu certo e a Luna 15 se espatifou em uma montanha lunar um dia depois da chegada dos americanos).

Luna-16
A Luna 15, também conhecida como Luna E-8-5 No.2, ou Luna Е-8-5 No.401 ou ainda Lunik 15

Antes disso, no entanto, a sonda serviu como prova para os soviéticos de que os americanos estavam mesmo por ali. Pela primeira vez na história, americanos e russos cooperaram no espaço – meio a contragosto, mas cooperaram. Para evitar uma tragédia espacial, com a sonda soviética colidindo com a nave americana, as duas agências trocaram dados sobre seus planos de voo. Ou seja: a URSS não apenas ouviu as transmissões de rádio vindas da Lua, mas também acompanhou o voo da Apollo 11.

Essa é, obviamente, a prova número 1 da chegada do homem na Lua. Mas ela não impediu a propagação de teorias que afirmam que tudo não passou de uma filmagem feita em um estúdio de Hollywood. E não é à toa. Quando a Nasa acabou com o projeto Apollo e passou a dedicar suas energias e verbas para as estações e os ônibus espaciais, ela deu margem para tudo isso se fortalecer. Conforme os anos passaram, o argumento “se o homem foi à Lua há tanto tempo, por que não voltou?” foi repetido a exaustão.

Ronaldo Mourão ouviu algumas das principais dúvidas sobre as imagens da Apollo 11. Ele esclareceu a verdade por trás dos mitos da missão lunar.

A bandeira que “tremula”

Dobra da bandeira está no mesmo lugar não importa o ângulo da foto (Foto: Nasa/Divulgação)
Dobra da bandeira está no mesmo lugar não importa o ângulo da foto (Foto: Nasa/Divulgação)

É quase impossível falar da missão da Apollo 11 e não ouvir alguém dizer que “a bandeira está tremulando e na Lua isso é impossível”. Sim, é impossível a bandeira tremular no espaço. É por isso que ela não tremula.

Preste atenção nas imagens: a bandeira americana não está voando. Ela está amassada, por que estava guardada em algum canto do apertadíssimo módulo lunar. É possível perceber que não há variação nas “ondas” da bandeira, não importa qual foto se veja.

“Além de estar amassada, a bandeira se mantém ereta por que tinha uma haste superior que a mantinha assim”, explica Mourão. “Essa é a única maneira de ela não ficar para baixo, que é o que seria esperado na Lua, onde não há vento e a gravidade é um sexto da terrestre”,

explica o astrônomo.

A foto de Neil Armstrong descendo do módulo lunar

Outra dúvida recorrente: “se Armstrong foi o primeiro homem na Lua, quem é que tirou a foto dele descendo?”. É simples: ninguém. Ninguém, por que essa foto não existe. Armstrong foi o primeiro homem na Lua e, por isso, não existe foto “de fora” do módulo lunar enquanto ele desce.

Buzz Aldrin, e não Neil Armstrong, deixa o módulo lunar (Foto: Nasa/Divulgação)
Buzz Aldrin, e não Neil Armstrong, deixa o módulo lunar (Foto: Nasa/Divulgação)

A foto clássica de um homem saindo da nave?

“É o Aldrin”, explica Mourão. Buzz Aldrin, o piloto do módulo, foi o segundo homem na Lua. Enquanto ele descia, Armstrong fotografava. Aliás, a maioria das fotos “clássicas” da Lua, que muita gente acredita serem de Armstrong, são, na verdade, de Aldrin.

As pegadas

Uma das muitas missões de Buzz Aldrin na Lua era bem simples: fazer uma pegada clara e tirar uma foto para que os cientistas na Terra pudessem estudar a mecânica do solo lunar. A foto virou um clássico e foi reproduzida no mundo inteiro. Além dela, diversas imagens mostram as pegadas dos dois astronautas na Lua.

Poeira lunar muito fina deixa pegada marcada (Foto: Nasa/Divulgação)
Poeira lunar muito fina deixa pegada marcada (Foto: Nasa/Divulgação)

Não se sabe onde isso começou, mas muitas pessoas passaram a debater na internet afirmando que “se não tem umidade, não deveria existir pegadas”. Mas a verdade é que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Não é preciso água para deixar pegadas, como qualquer beduíno do deserto pode demonstrar. O que deixa as pegadas ali é a areia extremamente fina e porosa da Lua.

“É um pó muito, muito fino, semelhante ao cimento, à cinza vulcânica ou ao pó compacto que as mulheres usam em maquiagens. Quando você pisa em algo assim, fica uma marca profunda. É por isso que as pegadas se formaram”,

afirma o astrônomo.

A variação de temperatura na Lua

A Lua não tem atmosfera. Por isso as temperaturas ali variam muito. Durante o dia, a média é de 100°C e durante a noite de 150°C negativos. Humanos, obviamente, não sobreviveriam ali. Por isso que os especialistas que planejaram a missão escolheram um lugar mais ameno para pousar o módulo lunar.

Roupas dos astronautas não aguentariam temperaturas tão extremas como as da Lua (Foto: Nasa/Divulgação)
Roupas dos astronautas não aguentariam temperaturas tão extremas como as da Lua (Foto: Nasa/Divulgação)

“O local escolhido para o pouso era exatamente no meio da penumbra, onde ainda não era nem dia nem noite completamente, para proteger os astronautas”,

explica Ronaldo Mourão. A rotação da Lua dura cerca de 27 dias – tempo de sobra para Armstrong e Aldrin ficarem seguros por ali.

As sombras

A fonte principal de luz na Lua é o Sol, assim como na Terra. E isso já gerou muita confusão, por que muita gente não entende por que é que há sombras diferentes nas fotos da Lua se o Sol “seria” a única fonte de luz. Mas o Sol não é a única fonte.

Sombras intrigam quem não acredita no feito (Foto: Nasa/Divulgação)
Sombras intrigam quem não acredita no feito (Foto: Nasa/Divulgação)

“Há também a Terra e a luz emitida pela própria câmera do astronauta”,

explica Mourão. Na Lua, a Terra ilumina a área tanto quanto a Lua ilumina a Terra em uma noite de Lua cheia.

As estrelas

Outra pergunta frequente: como é que os astronautas fizeram tantas fotos na Lua e não registraram nenhuma estrela? Basta uma noite longe das luzes artificiais que você enxerga bilhões delas – e eles não fotografaram nenhuma? Pois é, eles com certeza viram muitas, muitas, mas muitas estrelas mesmo, mas não conseguiram fotografar nenhuma.

As estrelas estão longe demais para serem capturadas pela câmera (Foto: Nasa/Divulgação)
As estrelas estão longe demais para serem capturadas pela câmera (Foto: Nasa/Divulgação)

Por quê? Por que a fotografia tem limites, principalmente em 1969. Para conseguir captar as estrelas, os astronautas teriam que ter deixado uma “exposição” alta na câmera, e com o brilho do Sol ali do lado se fizessem isso não teriam conseguido registrar mais nada na superfície.

“Talvez com uma máquina moderna de hoje em dia eles conseguiriam, mas era difícil e isso não era a prioridade naquele momento”,

explica Mourão.

Objetos deixados

As missões Apollo deixaram um monte de coisas na Lua. Desde o módulo de descida da Apollo 10, que ficou por lá mesmo, até o jipe lunar da Apollo 17, passando por satélites, aparelhos diversos e muitos estágios de foguetes. A mais importante delas é a única que está em operação até hoje: um conjunto de cubos refletores que funcionam como espelhos lunares.

Apollo 11 deixou uma placa na Lua (Foto: Nasa/Divulgação)
Apollo 11 deixou uma placa na Lua (Foto: Nasa/Divulgação)

“Esses cubos são usados para medir a distância da Terra à Lua, que varia. Diversos observatórios, dentro e fora dos Estados Unidos, já usaram esses refletores em pesquisas. Se o homem não tivesse ido à Lua, isso seria impossível”,

afirma o astrônomo.

Não é possível ver esses objetos da Terra por que eles são muito pequenos em comparação com a Lua e a distância é muito grande. Seria a mesma coisa que você pedir para Armstrong, da Lua, enxergar um automóvel aqui na Terra. Um exemplo: você consegue enxergar montanhas na Lua? Pois elas existem e algumas têm mais de 4 mil metros de altura (o ponto mais alto do Brasil, o Pico da Neblina, tem pouco mais de 3 mil metros). Agora, se a gente mal consegue ver montanhas, como é que vamos enxergar os pequenos objetos deixados pelas Apollos?

Além das coisas que os astronautas deixaram na Lua, há as coisas que eles trouxeram. As rochas lunares foram analisadas por cientistas do mundo todo e sua autenticidade foi comprovada.

“Não dá para falsificar isso. Rochas lunares têm características muito especiais, não vistas na Terra, por que elas são atingidas por micrometeoritos”

, conta Mourão.

Por que o homem ainda não voltou?

Essa reportagem provavelmente não seria necessária se a Nasa tivesse mantido as missões lunares e as pessoas estivessem tão acostumadas com descidas à Lua quanto estão hoje com voos à Estação Espacial Internacional. Então, cabe a pergunta: se o homem foi à Lua, por que não voltou? A resposta: política.

Quando o homem vai voltar à Lua? (Foto: Nasa/Divulgação)
Quando o homem vai voltar à Lua? (Foto: Nasa/Divulgação)

Depois que os Estados Unidos chegaram à Lua, os soviéticos resolveram brincar de “eu nem queria mesmo” e deram uma bela desacelerada em seu programa lunar, mantendo apenas as sondas Luna. “A URSS preferiu gastar seu tempo e dinheiro com a estação espacial Mir”, conta Mourão – e nessa eles derrotaram os americanos, que jamais conseguiram colocar a sua Freedom em órbita e acabaram adaptando o projeto para virar a Estação Espacial Internacional.

A Nasa, por sua vez, viveu uma crise financeira numa época que o governo americano acreditava que o povo “não se importava” com o programa espacial. Mais tarde, preferiu concentrar seus esforços nos ônibus espaciais, com a esperança de tornar as missões mais rotineiras.

Agora, no entanto, tudo parece que vai mudar. Com a aposentadoria dos ônibus espaciais no fim de 2010, os americanos estão investindo em novas naves: as Orion, que parecem muito mais com as Apollo do que com os gigantescos ônibus. A principal missão da nova nave: levar o homem de volta à Lua. Mas agora a corrida espacial ganhou mais competidores: China, Índia e Japão também estão na briga. Se tudo der certo, daqui pouco mais de uma década, vamos ter muitas bandeiras causando polêmica em solo lunar.

Buzz Aldrin descreve seu “encontro de outro mundo” com um “OVNI”

in Apollo 11/ASTRONAUTAS/Avistamentos/ENTREVISTAS/Lua/Missões/NASA/News/Orbs/OVNIS/UFOS by
BUZZ ALDRIN
BUZZ ALDRIN

Buzz Aldrin e Neil Armstrong pousaram na Lua em 20 de julho de 1969, como parte da missão da Apollo 11. Uma semana atrás, Aldrin lançou o #Apollo45, um movimento de mídia social e um novo canal de YouTube, dedicado a homenagear o 45º aniversário dessa missão improvável. Buzz Aldrin realizou uma conferência há uma semana, em resposta a consultas sobre uma série de assuntos, e dando sua visão a pessoas que consideram o pouso era falso, seu maior arrependimento da missão e orientações para confiantes futuros astronautas. Buzz Aldrin também adquiriu a perspectiva de colocar panos quentes nos rumores de que a equipe Apollo 11 avistou um UFO no espaço. Quando lhe foi perguntado que, se ele acreditava em extraterrestres, Aldrin repetiu Carl Sagan: “observações extraordinárias exigem provas extraordinárias.”

“Na Apollo 11 em rota para a Lua, observei uma luz do lado de fora da janela que parecia estar se movendo ao nosso lado. Havia muitas explicações sobre o que isso poderia ser, exceto outra nave espacial de outro país ou de outro mundo – ou um foguete que tinha se separado, ou os quatro painéis que se afastaram quando extraiu o lander do foguete e colocamos frente a frente as duas espaçonaves. Assim, nas imediações, afastando-se, eram quatro painéis. E eu me sinto absolutamente convencido de que nós estávamos olhando para o sol refletindo em um desses painéis. Qual? Eu não sei. Então, tecnicamente, a definição poderia ser “não identificado”. “

Ele começou a explicar que, estatisticamente, que haver vida em outro lugar no Universo e poderia muito bem ser em nossa própria Via Láctea, mas ele não considera por um segundo que o que eles viram no caminho para a lua foi algo como alienígena . Buzz Aldrin também disse que a paixão que estava presente na NASA para ultrapassar os limites e ir para a lua está faltando na América hoje. No final dos anos 1960, a NASA significava quase 4% do orçamento federal. Hoje em dia, é mais próximo de 0,5%. A atenção do público transformado será vital para presença humana em Marte e mais além, que é a próxima fronteira da viagem espacial.

Quando lhe foi perguntado sobre se os seres humanos deveriam voltar à Lua, Buzz recomendou que poderia ser mais adequado para outros países que não o fizeram ainda, enquanto os EUA deveria apenas ajudar, e continuar sempre olhando a frente. Ele também passou essa orientação para os astronautas que serão os primeiros a visitar Marte e montar uma colônia duradoura:

“Perceba que você é, talvez, o mais ambicioso, será um dos pioneiros mais históricos que a terra produziu desde o seu início. E é-lhe dada uma grande honra de passar o resto de suas vidas pioneiras para a humanidade. E se divertir! “

 

Objeto em foto tirada por Buzz Aldrin de Neil Armstrong na Lua, Apollo 11, julho 1969, pode confirmar a presença de OVNIS na LUA.

in Apollo 11/Apollo 12/Avistamentos/Casos Desvendados/Estruturas na Lua/Lua/Missões/NASA/News/OVNIS/UFOS/Videos by

Analisando fotos antigas da Apollo 11, fotos liberadas pela NASA em HD, uma delas me chamou a atenção, uma das fotos tiradas por Buzz Aldrin e por mais interessante que possa ser, é única fotografia clara de Neil Armstrong na Lua, a Apollo 11, julho 1969.

Ao fundo, do lado esquerdo, é possível observar um objeto luminoso no horizonte.

slide_402764_4999340_objeto

 

Ampliando a imagem, conseguimos ver do que se trata. Seria uma das naves alienígenas “Observadoras” relatadas por várias astronautas?

Image277

 

Sim, trata-se de um objeto e não de um reflexo ou poeira na lente, pois os Pixels estão alinhados de acordo com a profundidade do objeto na foto.

Foi então que me veio a lembrança de todos o mistérios que envolveram as missões da Apollo 11 e 12 à lua.

Lembram das comunicações de rádio captadas por centenas de radioamadores no mundo todo naquele 20 de julho de 1969?

“Esses ‘bebês’ são enormes. Enormes! Vocês não acreditariam nisso. Estou lhes dizendo que há outras espaçonaves lá fora e elas estão alinhadas na borda de uma cratera. Estão na Lua nos esperando!” Estas palavras, ditas por Neil Armstrong ao pousar no solo lunar.”

Image275
Objeto fotografado próximo à superficie lunar, enquanto acompanhava atentamente os movimentos dos astronautas da Apollo 12. A foto está registrada na NASA sob o N° AS-12-51-8553

Mas não fomos os primeiros nem os únicos a fazer isso. Ainda assim, mesmo com várias fotografias de objetos voadores não identificados tiradas na superfície lunar e próximas à ela, a NASA continua negando o fato à Humanidade.

De acordo com relatos não oficiais, tanto de Armstrong quanto Michael e Aldrin viram UFOs logo após a alunissagem. Timothy Good, autor do livro Above Top Secret, relata que um astronauta chegou a confidenciar ter visto uma luz misteriosa perto de uma cratera lunar. Maurice Chatelain, ex-especialista de comunicações da NASA e responsável pelo treino dos homens que foram ao espaço, afirmava que Armstrong viu dois UFOs. Entretanto, coube aos cientistas soviéticos falarem abertamente sobre o incidente, dizendo que o astronauta norte-americano confirmara que de fato dois enormes objetos observavam a Apollo 11 no momento da aterrissagem. A agência espacial norte-americana correu para desmentir os soviéticos e sua mensagem foi censurada. O porta-voz do órgão à época, John McLeaish, negou o fato, mas admitiu que a transmissão de voz de Armstrong demorava um pouco para chegar à Terra devido a um processo eletrônico.

Já Chatelain afirmou que as transmissões da Apollo 11 eram interrompidas várias vezes para que a NASA tivesse condições de esconder as notícias do público, censurando as falas. Disse também que os astronautas tinham um código secreto para informar ao controle da missão quando avistavam algo incomum. O cientista garantiu ainda que os vôos da Apollo e os da Gemini foram todos seguidos por UFOs, muitas vezes bem próximos. “A idéia de que a NASA estaria escondendo algo do público é absurda. Não somente dúzias de astronautas teriam que jurar não divulgar nada, mas centenas de engenheiros, técnicos, secretários,” explica Paul Lowman, ex-chefe do Centro Espacial Goddard, da NASA, encarregado de apagar o fogo ateado por Chatelain e outros descontentes com o sigilo. Mas o que acontece realmente é que nem todas as comunicações entre os astronautas e o controle da missão foram conhecidas do público.

O UFOsFacts já publicou várias matérias sobre este assunto e em uma delas, ASTRONAUTAS DA APOLO 11 CONFIRMAM TER PRESENCIADO UFOS OBSERVANDO SUA MISSÃO [VIDEO]o próprio Edwin Aldrin, integrante da missão Apolo 11, que levou o homem à Lua pela primeira vez, concedeu a seguinte declaração:

“Havia algo do lado de fora, próximo o bastante para ser observado…o que poderia ser”?

Ele disse também que na época os astronautas fizeram um pacto de não reportar o testemunho com medo de receberem instruções para fazer contato.

Edgar Mitchell

Por outro lado, Edgar Mitchell, integrante da missão Apolo 14, de 1971, disse que, depois de ir ao espaço, teve certeza de que somos observados por alienígenas.

“Não sei quantos ou como atuam, mas estou seguro de que estão nos observando; vimos naves o tempo inteiro”.

Mitchell ressaltou que a NASA possui diversos relatos dos integrantes da missão Apolo 11 sobre esse tipo de acontecimento.
Entre os relatos, o de Neil Armstrong impressiona:

“As naves eram imensas… Não podíamos acreditar. Fomos advertidos para nos afastar”,

teria declarado o astronauta. Tempos depois, o próprio Armstrong voltou ao assunto:

“Não posso entrar em detalhes, exceto para dizer que essas naves eram muito superiores às nossas, tanto em tamanho como em tecnologia. Eram grandes e ameaçadoras”.

Apesar dos depoimentos, a NASA, oficialmente, desmente qualquer encontro com supostos alienígenas ou outras espaçonaves. No entanto, quem fez a viagem foram os astronautas…

Veja a Baixo a gravação original censurada pela NASA.

 

 

ASTRONAUTAS DA APOLO 11 CONFIRMAM TER PRESENCIADO UFOS OBSERVANDO SUA MISSÃO [VIDEO]

in Apollo 11/ASTRONAUTAS/Lado Escuro da Lua/News/OVNIS/UFOS by
Todos os dias centenas de pessoas dizem ter visto objetos incomuns no céu. Entretanto, a maior parte das autoridades desmente estes argumentos, sugerindo que são produtos da imaginação ou, simplesmente, mentira. Mas, quando a afirmação é feita por um astronauta experiente, a situação muda de figura.
 
O astronauta Edwin Aldrin, integrante da missão Apolo 11, que levou o homem à Lua pela primeira vez, concedeu a seguinte declaração: “Havia algo do lado de fora, próximo o bastante para ser observado… o que poderia ser”? Ele disse também que na época os astronautas fizeram um pacto de não reportar o testemunho com medo de receberem instruções para fazer contato.

Edgar Mitchell
 Por outro lado, Edgar Mitchell, integrante da missão Apolo 14, de 1971, disse que, depois de ir ao espaço, teve certeza de que somos observados por alienígenas. “Não sei quantos ou como atuam, mas estou seguro de que estão nos observando; vimos naves o tempo inteiro”. Mitchell ressaltou que a NASA possui diversos relatos dos integrantes da missão Apolo 11 sobre esse tipo de acontecimento.
Entre os relatos, o de Neil Armstrong impressiona: “As naves eram imensas… Não podíamos acreditar. Fomos advertidos para nos afastar”, teria declarado o astronauta. Tempos depois, o próprio Armstrong voltou ao assunto: “Não posso entrar em detalhes, exceto para dizer que essas naves eram muito superiores às nossas, tanto em tamanho como em tecnologia. Eram grandes e ameaçadoras”. Apesar dos depoimentos, a NASA, oficialmente, desmente qualquer encontro com supostos alienígenas ou outras espaçonaves. No entanto, quem fez a viagem foram os astronautas…

FOTO DE UFO TIRADA PELA MISSÃO APOLLO 11 INTRIGA ESPECIALISTAS E UFÓLOGOS

in Apollo 11/Lua/NASA/UFOS by
Aqui temos a foto de um suposto UFO, obtida pela Missão Apollo 11, onde podemos ver nitidamente um objeto sobrevoando  a superfície da Lua.
 
A nave parece ser em forma de charuto com um contrail por trás dele. Na foto original, que se encontra na área central superior.
 
Talvez esta nave estava seguindo o módulo da Apollo 11, uma vez que orbitou a lua.
 
Data da descoberta: outubro 2013
 

FOTO DA MISSÃO APOLO 11 REVELA UFO SOBRE A LUA

in Apollo 11/Lua/NASA/UFOS/Videos by
Scott Waring, editor do site UFO Sightings Daily, publicou um artigo onde mostra uma foto que supostamente confirma as alegações de Armstrong que afirmou ter visto 3 Naves imensas observando a missão da Apollo 11, missão esta que levou o primeiro homem a Lua.

MOTORES DA APOLLO SÃO RESGATADOS DO FUNDO DO MAR PELA AMAZON.COM

in Apollo 11/News by
A câmara de empuxo de um dos cinco primeiro estágio
dos motores de foguete F-1 usado para lançar um dos
poderosos foguetes da NASA, Saturno V em uma histórica
missão Apollo à Lua é visto no fundo do Oceano Atlântico
nesta imagem das Expedições Bezos. do Bilionário Jeff Bezos
que financiou a expedição. Imagem de 20 de março de 2013.
Quando se pensava estarem perdidos para sempre no fundo do oceano, os enormes motores que lançaram os astronautas à Lua a mais de 40 anos atrás foram recuperados por uma expedição privada liderada pelo fundador da Amazon.com.
“Nós encontramos muitas coisas”, disse Jeff Bezos, CEO da varejista on-line, em uma atualização postada quarta-feira (20 de março) no site Expedições Bezos. “Temos visto um país das maravilhas debaixo d’água – um jardim de esculturas torcidas incríveis dos motores de F-1 que conta a história de um fim ardente e violento, que serve prova do programa Apollo.”
Quando os poderosos foguetes da NASA Saturno V foram lançados em missões em órbita da Terra e da Lua no final de 1960 e início de 1970, os cinco motores F-1 que moviam cada uma das etapas, chamados de boosters, cairam no Oceano Atlântico e afundaram ido para o fundo do mar. Lá, eles deveriam permanecer, descartados para sempre.
Então, quase exatamente um ano atrás, Bezos anunciou sua privada e até então secreta expedição que tinha localizado o que eles acreditavam ser os motores utilizados a partir de 1969 na missão Apollo 11, que começou a jornada para colocar os primeiros seres humanos na lua. 

Quando Bezos primeiramente revelou que sua equipe havia descoberto os motores utilizando o sonar em alto-mar, ele disse que não tinha certeza de que condições eles estavam.
“Eles bateram o oceano em alta velocidade e ficaram em água salgada por mais de 40 anos. Por outro lado, eles são feitos de material resistente, por isso vamos ver”, Bezos escreveu em 2012.

O que eles viram, usando veículos operados remotamente (ROV), era uma pilha confusa de peças do motor F-1 espalhados pelo chão do oceano a uma profundidade de mais de 14.000 pés (4.270 metros).
“Nós fotografamos muitos objetos bonitos no local e já recuperamos muitas peças”, Bezos escreveu na quarta-feira de atualização. “Cada peça que trazemos ao convés evoca para mim as milhares de engenheiros que trabalharam juntos na época para fazer o que por todo o tempo que se pensava certamente impossível.”
“Nós da equipe fomos  frequentemente atingidos por ecos poéticas das missões lunares”, Bezos escreveu. “A flutuação dos ROVs se parece demais com microgravidade. A escuridão do horizonte. O fundo do mar cinza e incolor. Apenas os peixes ocasionais do mar profundo quebraram a ilusão”.
Bezos e sua equipe estão agora voltando para o porto, em Cabo Canaveral, na Flórida, depois de trabalhar por três semanas no mar, o trabalhando no Seabed Worker, um navio de apoio multi-propósito.
Esta imagem liberada 20 março de 2013, mostra parte da estrutura de primeiro
estágio do foguete Saturno V usado para lançar uma das missões lunares
históricas da Apollo.

Veja reportagem completa em Space.com

EVIDÊNCIAS DA MISSÃO APOLLO 11 CONFIRMAM EXISTÊNCIA DE UFOS E VIDA ALIENÍGENA?

in Apollo 11/Lua/NASA/OVNIS/UFOS by
Em 20 de julho de 1969, o homem pisa pela primeira vez na Lua, com os tripulantes da Apollo 11. Neil Armstrong e Edwin Aldrin desceram ao solo lunar e o Michael Collins ficou girando em torno da Lua. Desde então se tem notado pelos meios de comunicação uma possível existência de fotos e vídeos feitos pelos tripulantes da Apollo 11 e naves posteriores, onde há aparecimento de naves extraterrestres, bases e torres extraterrestre, há quem diga que a Lua era habitada por seres chamado de Néfelis que há muito tempo deixaram a Lua, e de onde começaram a observar-nos do nosso próprio satélite natural.
Bem sabemos que muitas historias ditas sobre aparições de óvnis em fotos e em vídeos eram ditos como farsas, porem Neil Armstrong anos após finalizar sua carreira, sedeu a um repórter uma entrevista extraordinária, onde comenta sobre a Nasa e seu acobertamento sobre Óvnis, seria a Nasa então uma instituição civil conivente com o acobertamento mundial? Também temos coletados dados sonoros sobre uma suposta transmissão via radio com Houston e uma nave que pousara na Lua.

Uma pequena parte da transmissão da Apollo 11 para com sua base na Terra em Houston.
    NASA:    O que há aí? 
    Controle da Missão chamando Apollo 11…Veja o video abaixo

Entrevista de Armstrong para um professor que preferiu ficar Anonimo

Professor:    O que realmente aconteceu lá fora com  a Apollo 11?
 Armstrong:   Foi inacreditável, claro que nós sempre soubemos da possibilidade, de fato, nós fomos alertados (pelos alienígenas). Depois disso não houve nenhuma dúvida sobre a existência de uma estação espacial ou uma “cidade” na Lua.
Professor:    O que você quer dizer com “alertados”? 
  Armstrong:   Não posso entrar em detalhes, só posso dizer que as naves deles  são tão superiores as nossas tanto em tamanho quanto em tecnologia. Rapaz, eles eram grandes! …e perigosos! Não, não há   nenhuma dúvida sobre uma estação espacial.
 Professor:    Mas a NASA mandou outras missões para a Lua depois da Apollo 11? 
  Armstrong:   Naturalmente – A NASA estava trabalhando duro naquela época, e não queria arriscar causar um pânico na Terra.  Mas na verdade foram missões mais rápidas.


Armstrong também disse em sua entrevista que quando tiveram o seu primeiro contato na Lua, extraterrestres teriam entrados em contatos com eles e lhe advertidos que não eram bem vindos, e que possivelmente o motivo dessa não desejada visita terrestre seria por causa da bases extraterrestres que lá acreditara que existisse, e que mais tarde foi supostamente filmada por um astronauta.

Neil Armstrong também afirma que a Nasa nada comentou naquela época por causa do pânico que iria causar a tal revelação na sociedade, e por tanto manteve-se calada até os dias atuais, desde então a primeira viagem a lua, a Nasa tem mandado consecutivamente por um espaço pequeno de tempo mais naves tripuladas para realizarem estudos no solo da Lua, então perguntamos o que deveria estar acontecendo para que os supostos seres extraterrestres Nefilis, qual seria a sua intenção e qual o motivo de não quererem que nós terráqueos entrasse em contato com o solo da Lua? Poderia então ser esse o caso de que a Lua é muito mais tempo habitado que pensamos, talvez ate antes mesmo da existência da raça humana na Terra?
A NASA em conjunto com a CIA durante a transmissão ao vivo da Lua censurou uma mensagem dos tripulantes da Apollo 11, onde a transmissão dizia que após descerem em solo lunar dois objetos luminosos apareceram e os cercavam. Donald Slayton tripulante da Mercúrio afirmou que viu um balão meteorológico fora da atmosfera terrestre e que ao posicionar a Mercúrio atrás do objeto e mais próximo dela, analisou que o objeto não era um balão meteorológico e sim um disco voador.
Essas fotos proibidas, não importa como conseguidas por SEB JANIAK, mostram os vestígios de instalações alienígenas talvez ainda em atividade e, portanto, em plena operação no nosso (?) satélite!
E por que essa recepção? Simplesmente porque várias fotos rigorosamente censuradas pela NASA nos mostram os UFOs ostensiva e agudamente vigiando as atividades dos nossos Astronautas no solo da Lua!
Pois, igualmente existem naquela árida superfície máquinas estranhas – maquinários bizarros, desconhecidos, talvez ainda desenvolvendo os seus trabalhos de escavações de minérios! E o documentários ainda nos mostra o “antes” e o “depois” – ou seja, algumas fotos originais e as mesmas fotos após manipuladas pela NASA, onde essas coisas são literalmente apagadas e retocadas mediante a aplicação de efeitos especiais de modo a ocultar tais espantosas verdades!….quem pode afirmar que sim ou que não?

Go to Top

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com