Category archive

Civilizações Antigas

Objeto em forma de “Disco Voador” é achado a 40 metros abaixo do solo, na Sibéria

in Civilizações Antigas/Descobertas/Misterios/News by
Objeto em formato de disco voador, e com cúpula, foi encontrado na Rússia
Objeto em formato de disco voador, e com cúpula, foi encontrado na Rússia

Um objeto em formato de disco voador, e com cúpula, foi encontrado na Rússia durante uma escavação feita por uma empresa de mineração na Bacia Kuznetsk, na Sibéria. Arqueólogos foram chamados para investigar, pois os escavadores acreditam que encontraram um objeto feito artificialmente.

O inusitado objeto é feito de pedra tem um diâmetro de aproximadamente 1 metro e 20 centímetros e pesa cerca de 200 quilos. e foi encontrado a 40 metros de profundidade. Anteriormente eles já haviam encontrado muitos dos ossos pré-históricos, como presas de mamutes, mas não eram mais profundas do que 20 metros. Portanto, este objeto pode ser duas vezes mais velho. De acordo com a empresa, haviam 2 discos, sendo que um deles foi danificado pela escavadeira

[hdvideo id=98]Será que essas imagens intrigantes mostram um OVNI que caiu em nosso planeta vindo do espaço exterior a milhares de anos atrás, encaixando-se no fundo da terra?

8706776_original
Objeto em Forma de Disco intriga cientistas e inflama entusiastas de UFOS que são incisivos em afirmar que trata-se de uma nave.

 

Um dos escavadores, Boris Glazlov, de 41 anos, disse:

“Eu tenho que dizer que não foi difícil enxergar o objeto, pois ele era grande e distinto. Eu nunca vi nada como ele, que obviamente foi feito pelo homem, aqui no meio do nada. É realmente um mistério.”

8707439_original

Outro escavador, Arthur Presnyakov, de 38 anos, disse:

“Na verdade havia dois objetos similares, mas o primeiro se quebrou quando estava sendo retirado do solo pela escavadora. Pensamos ter visto algo com certeza, porque ele quebrou em pedaços, mas quando o segundo objeto apareceu, paramos o trabalho e cuidadosamente o removemos da pá escavadora.”

8707757_original

Kuzbassrazrezugol é a companhia de mineração proprietária do objeto encontrado. Ela disse que o objeto foi retirado do solo à uma profundidade de cerca de 40 metros e por estar tão profundo no solo, pode ser mais velho do que ossos de mamute, os quais foram descobertos na área à profundidade de 25 metros.

8706893_original

Procurados, cientistas declinaram em fazer quaisquer declarações sobre o objeto.

A equipe do UFOSFacts entrou em contato com arqueologistas e também efetuou pesquisas sobre objetos semelhantes encontrados ou mencionados em registros da história e encontrou uma informação sobre pedras circulares chamadas de Pedras Dropa ou Dzopa disco. As pedras Dropa, também conhecidas como pedras Dzopa Dropas ou drop-ka pedras, são ditas por alguns ufólogos e pseudos arqueologistas serem uma série de pelo menos 716 discos circulares de pedra, que datam 12.000 anos, em podem ser encontrados com pequenas marcas de hieróglifos. Cada disco pode medir algo em torno de 30 cm de diâmetro e possuir duas ranhuras, provenientes de um furo no seu centro, na forma de uma espiral dupla. As marcações de hieróglifos podem ser encontrados nestes sulcos. Não há nenhuma evidência concreta da existência destes discos até hoje.

Geekation_DropaStones

Um disco dropa ou dzopa é um disco de pedra pré-históricos, com milhares de anos de idade, em que supostamente uma raça alienígena inscreveu informações sobre si mesmo – como as suas origens históricas, cultura e civilização – como uma informação gravada em seu computador.

ufofiles-chinasroswell-image8

Segundo informações de arqueólogos, os discos dropa, poderia ser um disco de pedra antiga contendo informações  sobre uma cultura alienígena, toda sua vida armazenada no disco. Tais discos Dropa teriam sido confiscados pelo Governo chinês em um lugar secreto e sem chances de acesso. Este disco encontrado na Russia, precisa ser testado, e não apenas para ver do que ele é feito de, mas para procurar e recuperar todos os dados que podem estar armazenados nele.

dropa
Pedras Dropa ou Dzopa disco

Também é possível encontrar matérias bastante convincentes e divulgadas por canais a cabo que transmite programas que tratam de teorias dos astronautas antigos. A história é algo como isto. Um antigo túmulo foi encontrado perto da fronteira com o Tibete/China por um arqueólogo real. No túmulo, vários (Mais de 100) artefatos interessantes foram encontrados. Alguns corpos de seres pequenos e com cabeças estranhas e centenas de pedras com gravuras sobre eles. Algumas das gravuras foram supostamente traduzido por um Tsum Um Nui revelando uma história interessante sobre uma ilha de extraterrestres. Mais tarde, dizem que os aliens foram caçados até a extinção ou casaram-se com os habitantes locais, dependendo da história.

Histórias impressionantes e bastante convincentes porém você ler, entender e assimilar com muita parcimônia, pois todos sabem que muitas histórias envolvendo povos, religiões, batalhas e grandes feitos antigos, são muitas vezes fantasias e histórias para motivar futuras gerações e as vezes enfeitar uma história sem graça, se olhar bem, isto ainda é feito nos dias de hoje nas mídias sociais, pessoas contam suas histórias de um mundo feliz e perfeito.

Portanto, continuaremos acompanhando de perto esta história.

UFOS e artefatos egípcios Aliens descobertos em Jerusalém são mantidos em segredo pelo Museu Rockefeller

in Civilizações Antigas/Descobertas/News by

Entusiastas dos assuntos UFO e Aliens estão alvoroçados com reivindicações de notáveis artefatos egípcios antigos descobertos na antiga casa em Jerusalém do famoso egiptólogo Sir William Petrie, itens que “podem reescrever a história do antigo Egito” e de fato a história do mundo.

Um vídeo do YouTube divulgado pelo site Paranormal Crucible pretende mostrar antigos artefatos esculturas egípcias originalmente encontradas no “complexo de Gizé”, mas teriam sido tirados da casa de Petrie em Jerusalém por representantes do Museu Arqueológico Rockefeller  logo depois que eles foram encontrados.


De acordo com Shepard Ambellas, editor-chefe da “notícia alternativa” no website Intellihub News, os artefatos egípcios alienígenas foram descobertos escondidos em uma sala secreta por trás da estante do egiptólogo. Petrie aparentemente tinha encontrado provas de vida extraterrestre na Terra antes de sua morte em 1942, mas optou por escondê-los em sua casa em Jerusalém. Agora que o Museu Rockefeller tomou posse dos artefatos, os especialistas em Aliens e UFOs temem que possam nunca ser acessível ao público.

Shepard-300x300
(Shepard Ambellas Aug. 2014)

No entanto, Ambellas afirma que algumas das relíquias podem ser vistas no Museu de Arqueologia Egípcia Petri em Malet Place, Camden, perto de Gower Street, Londres.

O Inquisitr foi capaz de confirmar que o Museu de prestígio Petri de Arqueologia Egípcia tem na sua posse uma vasta coleção de artefatos egípcios e sudaneses antigos, incluindo antigos “primeiros”, egípcias, como a “roupa mais velha” e “vestido mais antigo” do antigo Egito (5000 aC). O museu também exibe esculturas de leões do templo de Min em Koptos e os primeiros produtos conhecidos da metalurgia da antiga civilização. No entanto, The Inquisitr foi incapaz de confirmar que o museu tem em exposição “artefatos egípcios alienígenas” recuperados de um quarto secreto na antiga casa de Petrie, em Jerusalém.

Mas os crentes irão assumir que as relíquias mais sensíveis de origens alienígenas estão sendo mantidas longe do público.
Ambella alega que os artefatos egípcios alienígenas alegadamente encontrados em Jerusalém na antiga casa de Petrie, que ligam a antiga civilização egípcia com uma civilização avançada,  incluem dois corpos ET mumificados com menos de 1:20 metros de altura. Apesar de que anões e pigmeus terem sido capturados no interior da África e foram tidos em alta estima como “seres celestiais” no Reino Antigo na era do antigo Egito e servido em altas posições, Ambella especula que estas criaturas de quatro pés são “possivelmente alienígena na natureza”, e, assim, literalmente, de origens “celestes”.

post-02-14-3
Figuras Dwarfish em uma antiga pedra com Hieroglifos

Detalhes das características físicas dos corpos mumificados parecem apoiar a sugestão de que eles eram “possivelmente alienígena na natureza.” De acordo com Ambellas, os esqueletos têm a forma alienígena estereotipada “cabeças alongadas, grandes cavidades oculares, e longos braços.”

ea9f5-artefatos2bextraterrestres2begc3adpcios2b2bdescoberto2bem2bjerusalc3a9m2balien2begyptian2bartifacts2bdiscovered2bin2bjerusalem2bcorpos2balienigenas2baliens2bufos2bovnis2b20
Os aliens com “Cabeças alongadas, grandes cavidades oculares, e longo braços”.

Igualmente interessantes foram os dispositivos mecânicos “altamente avançados”, incluindo um disco de ouro com um topo transparente encontrado com os corpos de alienígenas. De acordo com Ambella, os dispositivos de alta tecnologia têm “um intrincado mecanismo que é cercada por tubos em espiral de ouro que tem vários pequenos orbs douradas e cruzes ligadas a ele.” Os dispositivos tinham símbolos egípcios não antigos neles, como pode ser visto em na imagem abaixo.

post-02-14-4
Gadget Tecnológico Alienigena poderia ser um Dispositivo de Navegação

Seriam estes dispositivos de navegação interestelar alienígenas? Bem, eles podem ser, a julgar pelo fato de que as relíquias também incluem tábuas de pedra que “parecem mostrar naves alienígenas”, de acordo com Ambella.

Esta não é a primeira vez que os arqueólogos encontraram antigas tábuas de pedra com inscrições egípcias sugestivos a naves espaciais alienígenas e outras máquinas sofisticadas e avançadas. A imagem abaixo mostra os famosos “Hieróglifos Helicopter” recuperados de um templo em Abydos, Egito, mostrando o que parece ser aeronave moderna.

post-02-14-5
“Hieróglifos Helicopter” recuperados de um templo em Abydos, Egito, mostrando o que parece ser aeronave moderna.

Embora os cientistas atribuíram a “aeronave” interpretação destas inscrições para o fenômeno psicológico chamado pareidolia, a crença é generalizada nos círculos entusiastas alienígenas e OVNIs que estas inscrições hieróglifo são à prova de pilotos aliens e astronautas que contatou antigas civilizações humanas e influenciaram o desenvolvimento cultural e tecnológico das primeiras sociedades humanas.

E, de fato, a precocidade da antiga civilização egípcia aparece para fazer a teoria do contato alienígena credível para os entusiastas de OVNIs e ETs, que acreditam que os estrangeiros construíram essas maravilhas arquitetônicas como a Pirâmide de Gizé muito antes da antiga civilização egípcia surgir.

Vários sites de noticias sobre OVNIs e Alienígenas relataram em novembro de 2010 que o Dr. Alaaeldin Shaheen, decano da Faculdade de Arqueologia da Universidade do Cairo, admitiu, em resposta a uma pergunta sobre as ligações ET com as pirâmides, que as pirâmides do antigo Egito “não são deste mundo. ”

“Eu não posso confirmar ou negar isso, mas há algo dentro da pirâmide de que” não é deste mundo”

Mas depois ele negou o relato amplamente divulgado.

“Eu não dei essa declaração estúpida sobre alienígenas e pirâmides. Como egiptólogo eu não poderia dizer tais palavras estúpidas”.

Poderiamos dizer que tais negações não impressionam os crentes em OVNIs e ETs, que vêem evidências de conspirações de “acobertamento”quando funcionários e acadêmicos negam declarações reveladoras anteriormente a eles atribuídos.
Especialistas em OVNI e ETs continuam a debater por que Sir William Petrie e seus colegas mantiveram estes notáveis artefatos alienígenas egípcios em segredo e não liberando para o “público em geral”.

Fonte:www.inquisitr.com

De ETs ao apocalipse: entenda os mitos sobre os maias

in Civilizações Antigas by

Empenhados em esclarecer que os maias não teriam previsto que o mundo acaba em 2012, pesquisadores mexicanos afirmam que o certo sobre esse grupo indígena é sua obsessão com o tempo e a observação dos astros. A profecia catastrófica que associaria o fim do mundo ao mês de dezembro do próximo ano, no entanto, não é o único mito que cerca o povo maia. De um desaparecimento misterioso a uma ligação com extraterrestres, existem diferentes teorias sobre os maias que povoam o imaginário popular.

"Os maias da época pré-hispânica foram um dos poucos grupos no continente que deixaram marcadas as histórias de reis, elementos míticos e suas conclusões a partir da observação dos astros e do tempo. Esse conhecimento resistiu com um sistema de escrita, números e contagem do tempo que está registrado em parte em monumentos e documentos históricos que dão uma visão única do seu pensamento", diz ao Terra Mario Aliphat, antropólogo e arqueólogo do Colegio de Postgraduados de uebla (México)
“Os maias da época pré-hispânica foram um dos poucos grupos no continente que deixaram marcadas as histórias de reis, elementos míticos e suas conclusões a partir da observação dos astros e do tempo. Esse conhecimento resistiu com um sistema de escrita, números e contagem do tempo que está registrado em parte em monumentos e documentos históricos que dão uma visão única do seu pensamento”, diz ao Terra Mario Aliphat, antropólogo e arqueólogo do Colegio de Postgraduados de uebla (México)

“Os maias da época pré-hispânica foram um dos poucos grupos no continente que deixaram marcadas as histórias de reis, elementos míticos e suas conclusões a partir da observação dos astros e do tempo. Esse conhecimento resistiu com um sistema de escrita, números e contagem do tempo que está registrado em parte em monumentos e documentos históricos que dão uma visão única do seu pensamento. Isso não quer dizer que outros povos não tivessem o mesmo nível de sofisticação, mas não deixaram registros, e isso é o que torna os maias tão atrativos”, explicou em entrevista ao Terra o antropólogo e arqueólogo Mario Aliphat, do Colegio de Postgraduados de Puebla.

Ligações com ETs?

A existência de uma cultura tão impressionante e diversa abriu espaço para variadas interpretações. Uma das mais intrigantes é a que tenta associar os maias a origens extraterrestres. A ideia nunca foi comprovada, mas uma figura encontrada na tumba do rei Pakal, em Palenque, dá asas à imaginação de muita gente. Ela mostra um homem de traços indígenas, mas considerado alto para a estatura média dos maias, e dentro do que poderia parecer uma nave espacial, com controles e alavancas.

Ligações com ETs? A ideia vem de uma figura encontrada na tumba do rei Pakal, em Palenque, que mostra um homem de traços indígenas, mas considerado alto para a estatura média dos maias, e dentro do que poderia parecer uma nave espacial, com controles e alavancas
Ligações com ETs? A ideia vem de uma figura encontrada na tumba do rei Pakal, em Palenque, que mostra um homem de traços indígenas, mas considerado alto para a estatura média dos maias, e dentro do que poderia parecer uma nave espacial, com controles e alavancas

“Para os que trabalhamos para descobrir a essência dessa cultura e civilização antiga é preocupante que existam pessoas que só pensem em conexões estrambóticas com extraterrestres. Há quem diga que os indígenas não poderiam ter construído essas grandes pirâmides e cidades, o que é negar uma verdade. Essas estruturas feitas por eles expressam o impressionante grau de desenvolvimento e complexidade social e cultural maia”, afirmou Aliphat, que participou da 7ª Mesa Redonda de Palenque, evento que reúne 60 especialistas no tema e que terminou na sexta-feira em Chiapas, no sul mexicano.

"Para os que trabalham para descobrir a essência dessa cultura e civilização antiga é preocupante que existam pessoas que só pensem em conexões estrambóticas com extraterrestres. Há quem diga que os indígenas não poderiam ter construído essas grandes pirâmides e cidades, o que é negar uma verdade. Essas estruturas feitas por eles expressam o impressionante grau de desenvolvimento e complexidade social e cultural maia", afirmou Aliphat
“Para os que trabalham para descobrir a essência dessa cultura e civilização antiga é preocupante que existam pessoas que só pensem em conexões estrambóticas com extraterrestres. Há quem diga que os indígenas não poderiam ter construído essas grandes pirâmides e cidades, o que é negar uma verdade. Essas estruturas feitas por eles expressam o impressionante grau de desenvolvimento e complexidade social e cultural maia”, afirmou Aliphat

Desaparecimento misterioso

Outra ideia frequentemente associada aos maias é de que esse povo teria desaparecido misteriosamente, bem antes da chegada dos conquistadores espanhóis. De fato, especialistas coincidem em que houve abandono de cidades, provavelmente por desmatamento de terras. O colapso teria acontecido há mais de mil anos, no período Clássico (300-900 d.C.). No entanto, os maias deixaram descendentes integrados à civilização mexicana que mantiveram suas línguas e tradições, em regiões como a Península de Yucatán, os estados de Tabasco e Chiapas, no México, Guatemala e parte de Honduras e El Salvador.

Desaparecimento misterioso Outra ideia frequentemente associada aos maias é de que esse povo teria desaparecido misteriosamente, bem antes da chegada dos conquistadores espanhóis. "Eles não desapareceram. Hoje existem quase 30 línguas maias ativas, de um povo com uma sabedoria impressionante em uma região incrível da Mesoamérica, com variedades de clima e vegetação. Esses descendentes maias são a sequência constante do seu próprio tempo", diz Aliphat
Desaparecimento misterioso Outra ideia frequentemente associada aos maias é de que esse povo teria desaparecido misteriosamente, bem antes da chegada dos conquistadores espanhóis. “Eles não desapareceram. Hoje existem quase 30 línguas maias ativas, de um povo com uma sabedoria impressionante em uma região incrível da Mesoamérica, com variedades de clima e vegetação. Esses descendentes maias são a sequência constante do seu próprio tempo”, diz Aliphat

“Eles não desapareceram. Hoje existem quase 30 línguas maias ativas, de um povo com uma sabedoria impressionante em uma região incrível da Mesoamérica, com variedades de clima e vegetação. Esses descendentes maias são a sequência constante do seu próprio tempo”, diz Aliphat.

O tempo e os maias

A obsessão com o tempo é uma marca do povo maia. Segundo Aliphat, os maias dividiam o tempo em ciclos que se repetiriam. O fim de um ciclo marcava o início de outro, em um registro contínuo do tempo, como fazem os astrônomos, a partir da observação científica de estrelas, planetas e constelações, mas sem computadores e tecnologia.

2134903-3773-rec
A obsessão com o tempo é uma marca do povo maia. Segundo Aliphat, os maias dividiam o tempo em ciclos que se repetiriam. O fim de um ciclo marcava o início de outro, em um registro contínuo do tempo, como fazem os astrônomos, a partir da observação científica de estrelas, planetas e constelações, mas sem computadores e tecnologia

 

“Com esse registro, eles já podiam predizer eclipses, por exemplo, e o comportamento dos astros em geral, que para eles eram divindades. Isso fez com que ao entender, registrar e aprofundar-se no pensamento do tempo passado, poderiam projetar o futuro. Havia augúrios bons, outros ruins. Os maias acreditavam que certas datas poderiam ser mais positivas que outras para determinado evento, e se preocupavam com isso, como as pessoas, hoje, leem o horóscopo nos jornais e revistas”, detalha o especialista.

A obsessão com as profecias e o tempo se manteve mesmo após a chegada dos conquistadores espanhóis. Em um documento composto por textos sagrados e proféticos chamado Chilam Balam, os sacerdotes maias lutaram para registrar sua história e manter seus costumes, embora adaptados a um calendário que passaria a ser dominante.

O último mito relacionado aos maias é de que eles teriam previsto o fim do mundo em 2012. Sven Gronemeyer e Barbara Macleod, da Universidade da Trobe, da Austrália, divulgaram uma nova interpretação das inscrições de Tortuguero e dizem que elas previam o retorno de um deus, e não o apocalipse.
O último mito relacionado aos maias é de que eles teriam previsto o fim do mundo em 2012. Sven Gronemeyer e Barbara Macleod, da Universidade da Trobe, da Austrália, divulgaram uma nova interpretação das inscrições de Tortuguero e dizem que elas previam o retorno de um deus, e não o apocalipse.

“O Chilam Balam encerra diferentes tipos de profecias com uma estrutura cíclica. Então, se em determinado período passado houve fome, doenças ou guerra, os maias acreditavam que no mesmo período, mas de um novo ciclo, aconteceria algo similar. Tudo, claro, relacionado à vida maia. O mundo a que se referem é seu mundo, não o mundo de outros povos, que para eles não existiam”, explicou ao Terra Laura Caso Barrera, historiadora do Colegio de Postgraduados de Puebla.

Image28
“Com esse registro, eles já podiam predizer eclipses, por exemplo, e o comportamento dos astros em geral, que para eles eram divindades. Isso fez com que ao entender, registrar e aprofundar-se no pensamento do tempo passado, poderiam projetar o futuro. Havia augúrios bons, outros ruins. Os maias acreditavam que certas datas poderiam ser mais positivas que outras para determinado evento, e se preocupavam com isso, como as pessoas, hoje, leem o horóscopo nos jornais e revistas”, diz Aliphat

 

Os maias lidavam com diferentes concepções de tempo. Para eles, havia um calendário de 365 dias, que se entronca com outro, que marca as datas de rituais, de 265 dias. Há também outros tipos de contagem do tempo, como os katunes, já do período Pós-clássico (900-1200 d.C.), uma forma de contar e entender o tempo por períodos de 20 anos, e os baktunes, períodos de 400 anos, em cálculos complicadíssimos. O calendário ritual também se associava a profecias diárias que marcavam a vida do povo maia. Por meio dele, se determinavam os dias favoráveis para começar uma colheita, tratar uma doença ou escolher o nome de um recém-nascido.

“Os maias da época colonial retomaram os calendários cristãos através de livros europeus para entender o funcionamento dos calendários juliano e gregoriano e então fazer correlações com os calendários indígenas. Foi algo astuto, porque eles copiavam as datas cristãs dos calendários europeus e associavam essas datas às de rituais indígenas”, afirmou ao Terra a historiadora.

“Para fazer isso, foi necessária uma série de cálculos impressionantes. E os sacerdotes católicos, que não conheciam o funcionamento do calendário indígena, não desconfiavam que, assim, os maias mantinham seus rituais”, completou.

A TAMPA DO SARCÓFAGO DE PAKAL CONFIRMA TEORIA DOS “ANTIGOS ASTRONAUTAS”?

in MAIAS by
A tampa do sarcófago de Pakal em um graffiti
A grande tampa do sarcófago no Templo das Inscrições feita de pedra esculpida,  é uma peça única da arte maia clássica. Em torno das bordas da tampa existe uma faixa com sinais cosmológicos, incluindo os de sol, a lua e estrelas, assim como os chefes de seis antepassados. A imagem central é a de uma árvore do mundo. Sob Pakal está a serpente da morte com as suas mandíbulas abertas, uma representação iconográfica comum de entrada no reino dos mortos. O próprio rei usa os atributos do deus do milho tonsurado e é mostrado em uma postura peculiar que pode denotar renascimento. No passado, a interpretação da tampa teria suscitado controvérsia. Linda Schele viu Pakal caindo na Via Láctea no horizonte do sul, uma visão que não tem encontrado aceitação geral entre os estudiosos e ainda mostra alguma semelhança com as fantasias de ficção científica de Von Däniken.
O Túmulo de Pakal  tem sido o foco de atenção de alguns entusiastas da teoria dos “antigos astronautas” desde o seu aparecimento no Best Seller de Erich von Däniken em 1968, Eram os Deuses Astronautas? Von Däniken reproduziu um desenho da tampa do sarcófago (incorretamente, rotulando-a como sendo de “Copan”) e comparando Pacal com os astronautas do Projeto Mercury de 1960, interpretando desenhos debaixo dele como foguetes e oferecê-lo como prova de uma suposta influência extraterrestre nos antigos maias.
No centro desse quadro está a figura de um homem sentado, inclinada para frente. Ele tem uma máscara sobre o nariz,  usa as mãos para manipular dois controles e no calcanhar do pé esquerdo está em uma espécie de pedal com ajustes diferentes. A parte traseira é separada dele e está sentado em uma cadeira complexa, e fora deste quadro todo, você vê uma pequena chama como um escape.
Reivindicação de Von Däniken não é considerado uma interpretação credível por qualquer Maianista profissional. Por exemplo, Ian Graham respondeu: “Bem, eu certamente não vejo nenhuma necessidade de considerá-lo como um homem de espaço. Eu não vejo nenhum oxigênio. Vejo um rosto Maya muito caracteristicamente desenhado . “
Templo das Inscrições Maias

Encontrada Segunda Inscrição Maia Esculpida em escadaria de pedra confirma ‘Data Final’ do calendário maia – 21 de dezembro de 2012

in MAIAS/Nibirus/Reportagens by
Os arqueólogos encontraram esculturas em uma escadaria de pedra no local da escavação La Corona, na Guatemala que confirmam a “data fim” do calendário Maya, 21 de dezembro de 2012.
É apenas a segunda inscrição conhecido que confirma esta “data final”.
Seitas da Nova Era em todo o mundo tem interpretado isso como um evento apocalíptico potencial ocasionando uma explosão nas vendas de abrigos explosão aumento em os EUA e os crentes que se refugiam em um vilarejo na França.
Marcello A. Canuto
AS Tabuletas Maias são objetos de teorias conspiratórias selvagens da internet, com as previsões que nosso mundo vai ser engolido por um buraco negro, atingido por um asteróide ou devorados pelos deuses antigos.
A inscrição de 1.300 anos de idade é descrito como um dos hieróglifos mais significativa encontra em décadas.
A maior parte da inscrição esculpida em uma pedra abandonada por saqueadores lida com a história política mas não há uma referência a ‘final’ em uma passagem sobre o retorno de um rei.

“Esta foi uma época de grande turbulência política na região Maya e este rei se sentiu compelido a aludir a um ciclo maior de tempo que vem a terminar em 2012”, diz David Stuart, da Universidade do Texas em Austin, que liderou uma escavação em o local.
Mas muitas Etnias Maias rejeitam as previsões apocalípticas como em grande parte uma idéia ocidental.
Ao invés de o fim do tempo em si as inscrições referem-se ao início de uma nova era.

O ‘apocalipse’ refere-se ao fim de um ciclo de 5,125 anos desde o início do calendário de contagem maia Long em 3113 aC
“A história começou com alegações de que Nibiru, um planeta supostamente descoberto pelos sumérios, esta vindo em direção à Terra, diz Nasa, ‘Estas fábulas foram relacionados para o fim de um dos ciclos do calendário maia antiga no solstício de inverno em 2012 ‘.
Este texto fala sobre a história política antiga, em vez de profecia “, diz Marcello A. Canuto, DCO-diretor das escavações em La Corona.
Uma segunda tabuleta Maia recém-descoberta revela a “data final” para o calendário maia, é apenas o segundo artefato para especificar a data.
Os blocos esculpidos foram encontradas no local da escavação La Corona, na Guatemala

Os hieróglifos foram encontrados em blocos abandonados pelos ladrões no local da escavação La Corona

Desde 2008, Canuto e Tomás Barrientos da Universidad del Valle de Guatemala tem dirigido escavações em La Corona, um site anteriormente devastado por saqueadores.
“No ano passado, percebemos que os saqueadores de uma construção em particular tinha descartado algumas pedras talhadas, porque eles tinha muita erosão para vender no mercado negro de antiguidades”, disse Barrientos, “então nós sabíamos que eles descobriram algo importante, mas também pensaram que poderiam ter perdido alguma coisa. “

A descoberta foi descrita como a mais significativa descoberta hieroglífica em décadas
Marcello A. Canuto, diretor do Middle Tulane da American Research Institute, analisa hieróglifos no local da escavação La Corona, na Guatemala
O que Canuto e Barrientos encontrou foi o texto mais longo já descoberto na Guatemala.
Esculpido em degraus da escada, ele registra os 200 anos de história La Corona, afirma David Stuart, diretor do Centro de Mesoamérica da Universidade do Texas em Austin, que era parte de uma expedição de 1997, que explorou pela primeira vez o lugar.
A maior parte da inscrição esculpida em uma pedra abandonada por saqueadores lida com a história política mas há uma referência a ‘final’ em uma passagem sobre o retorno de um rei.
Enquanto decifrava essas novas descobertas em maio, Stuart reconheceu a referência de 2012 em um bloco de escada tendo 56 hieróglifos delicadamente esculpidas.
Comemorava uma visita real à La Corona em 696 dC pelo governante Maya mais poderoso de que o tempo, Yuknoom Yich’aak K’ahk ‘de Calakmul, apenas alguns meses após sua derrota por longa data Tikal rival no ano 695.
Considerado por estudiosos foram mortos nesta batalha, este governante estava visitando aliados e dissipar seus temores depois de sua derrota.
“Esta foi uma época de grande turbulência política na região Maya e este rei se sentiu compelido a aludir a um ciclo maior de tempo que acontece a terminar em 2012”, diz Stuart.
Então, ao invés de profetizar, a referência 2012 coloca reinado conturbado este rei e realizações em um grande quadro cosmológico.
“Em tempos de crise, os antigos maias usaram seu calendário para promover a continuidade e estabilidade, em vez de prever o apocalipse”, diz Canuto.
Templos da civilização maia na Guatemala: 
Pesquisadores descobriram paredes adornadas com pinturas originais representando um line-up de homens em uniformes pretos e centenas de números rabiscadas, muitos cálculos relacionados com o calendário maia
Esculturas maias de La Corona: A inscrição de 1.300 anos de idade, é descrito como um dos hieróglifos mais significativos encontrado em décadas
TERIAM OS MAIAS PREVISTO O FIM DO MUNDO EM 2012??
Se eles realmente previram só ficaremos sabendo na data de 21/12/2012, o que realmente está acontecendo é que como em todo fato envolvendo o assunto surgem 2 tipos de grupos, os Fanáticos que possuem o poder do convencimento e conseguem convencer milhares de seguidores para propagar suas pregações e os aproveitadores, estes hoje vendem cursos de sobrevivência, cursos estes ministrados por ex-militares onde são ensinados táticas de guerrilha urbana e uso de armamentos, inclusive crianças participam destes cursos que hoje ocorrem nos USA. Este grupo em particular conta com possíveis tempestades solares que irão danificar todos os sistemas de comunicação e energia deixando cidades as escuras. Isto na concepção deles e baseados em guerras deixa o povo desnorteado levando a anarquia.
Um grupo está investindo em idéias de Bilhões de dólares, pois visando a faixa de poder aquisitivo mais alta da sociedade onde estão vendendo apartamentos que supostamente serão construídos em antigos silos nucleares que eram utilizados pelos USA na época da guerra fria que já foram adquiridos por estes grupos.
A faixa de preço vária entre 900 mil a 1 Milhão de Dólares.
Uma outra empresa investiu ao copiar e vender lugares em Arcas gigantescas que segundo eles são capazes de resistir as mais terríveis condições atmosféricas incluindo permanecer submersa. Segundo esta empresa, já foram construídas 2 Arcas onde já estariam com todos os lugares vendidos. 
Hollywood já faturou bilhões sobre este e todos os outros assuntos que envolveram o assunto “Fim do Mundo”. 
Com certeza depois do dia 21/12/2012 passar e nada acontecer, irão surgir novas teorias prorrogando mais uma vez a data do final dos tempos e com isso mais grupos que irão ganhar muito dinheiro irão surgir e se juntar aos já existentes que com certeza irão continuar a vender suas idéias assim como os que vendem os serviços de congelamento de corpos visando uma ressuscitação e cura das doenças em um futuro incerto.

Por enquanto a unica coisa certa é que O MUNDO ACABA para quem morre.

MAIAS Preveem Eclipse, Retorno do Criador, Nova Era e NOSTRADAMUS Prevê Grande Terremoto para o Dia 20 de Maio de 2012, Será?

in Crop Circles/MAIAS by
Jamie Maussan é um famoso jornalista investigativo e premiado por 4 vezes no México. Ele trabalhou em um programa no México que funciona nos moldes do “60 Minutes” americano e praticamente fez uma imersão em reportagens envovendo aliens, Avistamentos de Ufos e Fenomenos.

Em seu programa “Terceiro Milênio”, ele exibe a interpretação de 2 Crop Cricles encontrados na Inglaterra  anunciando um Eclipse Anular do Sol em 20 de Maio de 2012 e revela uma incrível e ao mesmo tempo assustadora coincidência com uma das profecias de Nostradamus que prevê Violentos Terremotos para o dia 20 de Maio de 2012 quando o Sol se alinha com as Pleyades.

Maussan, afirma que um evento ocorrerá no dia 20 de Maio e que este evento será marcante para toda a humanidade, baseando-se na interpretação de um (Crop Circles) é uma cópia do Calendário Maia tão comentado nos ultimos tempos. Mas o que realmente ou precisamente o Calendário Maia Representa?

O Vídeo Abaixo mostra uma interpretação dos misteriosos desenhos encontrados ao redor do mundo onde segundo especialistas é possivel que o tão esperado encontro com Nibiru ocorra no dia 20 de Maio de 2012.

Estes desenhos prevem a volta de um suposto Messias para a mesma época.

Em 09 de Agosto de 2005, em Wayland´s Smithy, Inglaterra, surgiu um Crop Circle anunciando um Eclipse Anular do Sol em 20 de Maio de 2012, quando o Sol se alinha com as Pleyades. Esta mensagem se repetiu em Easth Kenneth no dia 22 de Julio de 2011, a qual menciona o mesmo eclipse.

Veja abaixo

Go to Top

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com